Tecnológicas são das mais otimistas nas previsões de contratação

Segundo um novo inquérito, as previsões de contratação mais otimistas dizem respeito aos setores dos serviços de comunicação, tecnologias da informação e energia e utilities, mas Portugal encontra-se abaixo da média da região EMEA

Tecnológicas são das mais otimistas nas previsões de contratação

Apesar da incerteza provocada pela guerra na Ucrânia, o menor pessimismo em relação à inflação e a previsão de algum dinamismo económico para os próximos meses provocaram uma evolução positiva nas perspetivas de contratação das empresas nacionais. Embora 50% dos empregadores esperem manter, no próximo trimestre, o seu atual número de colaboradores, 32% pretendem recrutar, face a 16% que anteveem reduzir as suas equipas.

Os dados são do “ManpowerGroup Employment Outlook Survey”, que revela uma projeção para a criação líquida de emprego de 16% para o segundo trimestre de 2023, um valor já ajustado sazonalmente e que reflete uma subida de quatro pontos percentuais face aos primeiros três meses do ano. No entanto, esta projeção traduz ainda uma descida considerável de 13 pontos percentuais, quando comparada com o período homólogo de 2022, quando Portugal começava a sair do contexto da crise pandémica. Estes valores posicionam Portugal abaixo da média global e da região da EMEA, com apenas oito países deste território a terem perspetivas de contratação mais pessimistas, entre os quais, Espanha, Grécia e Hungria.

O ano de 2023 arrancou com uma previsão económica menos otimista, impulsionada pela subida acentuada da inflação e o aumento das taxas de juro, que provocaram, entre outros aspetos, a redução do poder de compra e da capacidade de investimento das empresas. Apesar desta perspetiva desfavorável, os primeiros meses do ano permitiram à economia, nomeadamente a nacional, manter-se mais estável do que o esperado: a crise energética na Europa não se concretizou com a intensidade prevista e a inflação, apesar de elevada, parece tender a estabilizar. Esta conjuntura traz agora alguma esperança aos empregadores, que entram no segundo trimestre de 2023 com um maior otimismo nas intenções de contratação”, explica, em comunicado, Rui Teixeira, Country Manager do ManpowerGroup Portugal.

Os empregadores dos nove setores analisados em Portugal esperam aumentar as suas equipas no segundo trimestre do ano, e cinco destes registam sinais de maior dinamismo nas intenções de contratação, face aos primeiros meses de 2023. Por outro lado, oito dos setores reduzem as suas Projeções face ao período homólogo de 2022.

Os Serviços de Comunicação, que incluem telecomunicações e media, apresentam as perspetivas mais robustas, com uma projeção para a criação líquida de emprego de 35%, um valor que se destaca de forma significativa da média nacional e que traduz uma subida considerável de 17 pontos percentuais face ao trimestre anterior.

Entre os setores com a projeção mais robusta surge também o das Tecnologias da Informação com 32%, o que representa uma subida de quatro pontos percentuais relativamente ao trimestre anterior, e uma descida semelhante face ao mesmo trimestre de 2022.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 49 Maio 2024

IT INSIGHT Nº 49 Maio 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.