Oito em cada dez empresas europeias pretendem adquirir desktops

A IDC revelou num estudo recente que oito em cada dez empresas europeus pretendem comprar desktops para as suas empresas, segmento onde os equipamentos de pequeno formato e os mini PCs parecem estar a ganhar vantagem, pela economia de espaço e energia.

Oito em cada dez empresas europeias pretendem adquirir desktops

A mobilidade é uma tendência e está a chegar cada vez a mais empresas, mas os desktops continuam a ser o form fator que estas preferem. Esta é a principal conclusão da mais recente pesquisa da IDC, realizada junto de 600 executivos de PMEs e grandes empresas europeias. Aliás, uns esmagadores 84% indicaram estar a considerar a compra de desktops, pela sua maior durabilidade e performance, pelos preços mais reduzidos e por terem uma vida útil mais ampla. “A pesquisa confirmou que o tempo de vida médio de um desktop é superior em um ano ao do PC, o que reduz o custo total de propriedade para a empresa”, sublinha Maciek Gornicki, research director de personal computing na IDC EMEA. “Os preços mais baixos e a sua maior durabilidade fazem dos desktops a melhor opção para as empresas com orçamentos limitados e que requerem soluções para os empregados não móveis. Por outro lado, a maior segurança dos desktops beneficia as empresas que operam em indústrias como os seguros, a finança e a banca, assim como agências governamentais”.

O futuro deste mercado, sugere a pesquisa da IDC, estará nos desktops de pequeno formato e nos mini PCs, que reúnem a preferência das empresas: 43% dos inquiridos disse considerar adquirir um dispositivo de pequeno formato, enquanto 35% demonstram-se dispostos a comprar um mini PC. Poupança de espaço e com os custos energéticos surgem como os fatores que pesam nesta decisão. Existem também setores de atividade específicos que planeiam adquirir um mini PC, nomeadamente no que diz respeito à implementação de soluções de digital signage

Outro dado relevante é o que indica que as empresas pretendem implementar o Windows 10 como o seu próximo passo rumo a um aumento da sua produtividade. De tal modo assim é que 40% dos inquiridos planeiam fazer a atualização nos próximos 12 meses. “A maioria das empresas espera implementar o novo sistema operativo sem ter que comprar um novo hardware inicialmente, sobretudo porque uma grande proporção da base instalada de desktops profissionais pode ajustar-se aos requisitos do Windows 10”, explica Gornicki. “Há empresas que, no entanto, consideram adquirir em simultâneo o novo hardware devido à chegada da nova plataforma Intel Skylake, que, espera-se, trará melhorias ao nível da gestão e segurança, e uma maior eficiência em comparação com as plataformas mais antigas. Juntamente com o Windows 10, tal poderá ser suficiente para desencadear uma onda de renovação moderada no início de 2016”.

Tags
Notícias relacionadas

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 32 Julho 2021

IT INSIGHT Nº 32 Julho 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.