Critical Software instala laboratório criativo

O Fikalab fica localizado no Instituto Superior de Engenharia de Coimbra e é o primeiro laboratório criativo da Critical Software fora da empresa

Critical Software instala laboratório criativo

A Critical Software instalou o seu primeiro laboratório tecnológico criativo fora da empresa. O novo Fikalab está agora disponível no Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) para que todos os estudantes tenham acesso a ferramentas que lhes permitam construir os seus projetos.

O Fikalab, criado pela empresa em 2016, é um conceito que já existe em vários dos seus escritórios, e representa um espaço onde qualquer colaborador se pode desligar durante alguns momentos da sua rotina de trabalho e utilizar as mais recentes tecnologias, como gadgets, drones e impressões 3D, para desenvolver ideias próprias.

Com a abertura deste laboratório no ISEC, a Critical ambiciona expandir o conceito para o meio académico com o objetivo de aproximar a empresa das escolas de engenharia, promover o conhecimento e experimentação das mais recentes tecnologias e impulsionar os alunos a criarem projetos novos nestas áreas.

“A escolha do ISEC como local para a expansão deste conceito vai ao encontro da nossa estratégia de promoção da inovação e tecnologia nas comunidades envolventes. Como o futuro será criado em parte por aqueles que hoje estão a estudar, queremos posicionar a Critical Software como uma escola de engenharia, unimo-nos ao ISEC para fornecer aos seus estudantes as ferramentas necessárias para desenharem as soluções de amanhã”, explica Gonçalo Quadros, CEO da Critical Software.

O Fikalab procura ainda incentivar os seus participantes a tornarem as cidades onde está instalado o laboratório mais conectadas, possibilitando, por exemplo, soluções de irrigação inteligente ou de estacionamento inteligente, através da rede The Things Network, uma rede livre e de código aberto baseada em tecnologias associadas à Internet das Coisas.

“A nossa missão é dotar a cidade de Coimbra com conectividade para a Internet das Coisas, através de uma rede descentralizada, aberta e crowd sourced, que é propriedade de e gerida pelos seus cidadãos, empresas locais e instituições. Acreditamos que uma cidade para se tornar verdadeiramente inteligente e sustentável tem de ser construída com a participação ativa do seu cidadão, da sua comunidade, traduzindo-se numa vantagem competitiva para a economia local”, explica o líder da empresa.

Mário Velindro, presidente do ISEC, acredita que o laboratório funciona como um "gatilho para digitalizar o ensino, transformar conteúdos, espaços e métodos de aprendizagem". "A ideia é a de que os estudantes se comecem a sentir mais motivados, mais inspirados, com vontade de exercitar competências novas em áreas que podem ser diferentes daquelas que lhes estão a ser ministradas nas aulas", acrescenta.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 20 Julho 2019

IT INSIGHT Nº 20 Julho 2019

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.