COVID-19: 73,1% das startups nacionais está a sofrer impacto negativo

“O Ecossistema de Empreendedorismo Português e o COVID-19” apresenta uma primeira análise acerca da dimensão do impacto da pandemia nas startups nacionais

COVID-19: 73,1% das startups nacionais está a sofrer impacto negativo

A Aliados Consulting, em parceria com a FES Agency, lançou as principais conclusões de um inquérito efetuado a empreendedores, CEO e diretores de startups, com escritórios em Portugal.

Nos últimos anos, as startups e o ecossistema de empreendedorismo têm sido um desígnio nacional e uma aposta forte do governo nacional e dos governos locais. Estas empresas são fontes de inovação e de competitividade, pelo que continuar a apoiá-las neste momento difícil é, não só crucial para a sua sobrevivência, como também para a futura competitividade do país”, sublinha Inês Santos Silva, diretora executiva da Aliados Consulting.

“O Ecossistema de Empreendedorismo Português e o COVID-19” apresenta uma primeira análise acerca da dimensão do impacto da pandemia nestas empresas realizada entre os dias 21 e 24 de março de 2020.

Nesta análise participaram 78 empreendedores, CEOs e diretores de startups, com escritórios em Portugal e com até 10 colaboradores.

Este inquérito revela que 73,1% das startups entrevistadas está a sofrer um impacto negativo com o surto de COVID-19, sendo que para 43,9% as perdas nas vendas são superiores a 60%. A maioria – 62,8% - considera que o valor das suas startups está ainda a ser impactado negativamente.

60,3% dos inquiridos acreditam que a situação pode piorar e 44,9% pondera mesmo ter de encerrar devido a esta crise.

Apesar do cenário não ser o mais animador, a grande fatia das startups não está a considerar ainda cortes de salários (70,5%) ou despedimentos (75,6%).

Por outro lado, 6,4% das startups afirma que o impacto desta situação de saúde pública está a ser positivo nas vendas, sendo que estas são, na sua maioria, empresas da área da saúde e bem-estar. No entanto, mais de metade da amostra (53,8%) está envolvida na criação de soluções para mitigar o COVID-19.

Quando questionados sobre medidas que o governo pode adotar para apoiar as startups na situação atual, os inquiridos focaram, entre outras: layoff simplificado imediato e sem requisitos; critérios de acesso ao financiamento, alinhados com a situação específica das startups; rondas de financiamento - bridge rounds – apoiadas pela Instituição Financeira de Desenvolvimento; incentivos fiscais e de outra natureza para que Capitais de Risco e business angels continuem a investir; aceleração dos pagamentos e reembolsos do financiamento obtido via Portugal2020; isenções fiscais e redução da carga contributiva a curto e médio prazo.

Pretendemos que este relatório sensibilize para os problemas que as startups estão a enfrentar e para possíveis soluções específicas para estas empresas, quer se trate de financiamento de curto prazo ou novas medidas que incentivem business angels e VC’s a continuarem a investir” explica Inês Santos Silva.

A Aliados Consulting e a FES Agency pretendem voltar a realizar esta análise em breve, no sentido de acompanhar a evolução destes dados.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 25 Maio 2020

IT INSIGHT Nº 25 Maio 2020

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.