CDN pretendem angariar aplicações com a análise de conteúdo de dispositivos de ponta

As redes de entrega de conteúdos (CDN) estiveram na vanguarda da computação de ponta nos primeiros dias da Internet. Os CDN estão a desbloquear novas oportunidades para angariar aplicações com a análise de conteúdo de dispositivos de ponta

CDN pretendem angariar aplicações com a análise de conteúdo de dispositivos de ponta

As redes de entrega de conteúdos (CDN, na sigla em inglês) estão a desbloquear novas oportunidades para angariar aplicações implementadas com a análise de conteúdo de dispositivos de ponta. Esta tecnologia está a recolher dados de dispositivos da internet das coisas e dispositivos móveis de utilizador final.

Por exemplo, este tipo de análise de dados pode ajudar aplicações a identificar que tipo de dispositivo o cliente está a usar para ativar a sua aplicação (ou o seu conteúdo) e onde estão localizados (por exemplo, loja de automóveis ou de retalho). Com estas informações, pode fazer-se conteúdo direcionado e personalizado para um dispositivo e para uma localização. Os conteúdos enviados para um automóvel, por exemplo, podem ser entregues num formato seguro que minimiza a distração do condutor.

Empresas de cuidados de saúde, hotéis e muitos outras organizações precisam de capacitar as suas experiências de aplicação com insights em tempo real dentro das suas instalações para oferecer experiências mais personalizadas ao cliente. E as empresas de jogos sabem que para garantir experiências sociais online fortes, precisam de verificar quem está disponível, tem uma sólida ligação à rede e está pronto para jogar.

Estas capacidades irão impulsionar ganhos significativos de experiência do cliente e oportunidades de inovação para empresas que fornecem conteúdo para apps e websites em muitas indústrias, incluindo cuidados de saúde, energia, automóvel, media e entretenimento, entre outros.

Desde o aparecimento da COVID-19, tem havido um aumento macivo dos volumes de tráfego dos CDN. A Akamai reportou aumentos de tráfego superiores a 30%: 82 terabytes por segundo (Tbps) em março de 2019, contra 167 Tbps em março de 2020.

Empresas como a Azion, Fastly, e outros fornecedores de CDN relataram que os seus CDNs registaram um aumento de 70% no tráfego global para notícias e sites de publicações digitais de fevereiro a março de 2020. Da mesma forma, os serviços de streaming de vídeo, jogos, redes sociais e marcas educativas viram o tráfego aumentar 28% durante este período. A Cloudflare chegou a reportar um aumento de 40% entre 1 de janeiro e 20 de maio.

As principais plataformas cloud e CDN expandiram o seu mercado global de forma substancial, colocando servidores no mundo inteiro, sendo que a sua computação de ponta oferece uma menor latência, permitindo que as aplicações sejam colocadas muito perto dos utilizadores finais.

As plataformas cloud também investiram fortemente nesta realidade. Plataformas sem servidor funcional (FaaS) como a Amazon Web Services Lambda, Microsoft Azure Functions e Google Cloud Functions, dão aos desenvolvedores uma forma rápida de construir e implementar microserviços nativos em Java, JavaScript ou Python e, em seguida, automaticamente dimensioná-los conforme necessário.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 26 Julho 2020

IT INSIGHT Nº 26 Julho 2020

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.