Projeto de IA procura acelerar indústria através de dados gerados por simulações físicas

Parceria entre duas empresas apresenta uma oferta de soluções de data science industrial para acelerar até dez vezes o desenvolvimento de produtos e reduzir os gastos energéticos

Projeto de IA procura acelerar indústria através de dados gerados por simulações físicas

A DareData Engineering, empresa portuguesa, e a Inductiva.AI, uma startup portuguesa, anunciaram uma parceria estratégica para a disponibilização de um pacote de Data Science Industrial.

Ao combinar forças com recurso a inteligência artificial e a geração de dados sintéticos através da simulação, as duas empresas passam a disponibilizar a vários setores da indústria soluções capazes de acelerar a desenvolvimento de novos produtos no mercado até dez vezes, otimizando os custos e tendo um ganho de poupança energética na ordem dos 3% e 5% – sem ser necessário que os clientes invistam mais dinheiro do que inicialmente previsto.

Esta solução vem resolver um dos grandes problemas do setor industrial, que, na conceção de novos produtos, necessita de realizar vários ensaios para testar a qualidade e eficiência de novos produtos, materiais ou design. Com recurso à solução da DareData e da Inductiva, é agora possível às empresas industriais portuguesas terem uma solução que lhes permite realizar testes com dados sintéticos, gerados por simulação computacional, sem necessidade de recolha de dados reais, e realizar todo tratamento de dados com recurso a Inteligência Artificial para reduzir drasticamente os seus custos e, acima de tudo, trazer os produtos de forma mais célebre e maior garantia de qualidade em menos tempo.

Este é, para nós, um passo natural, na direção de responder às necessidades de todos os setores, inclusive daqueles que são mais tradicionais e que não têm, ainda, implantados sistemas de digitalização. Ao nos juntarmos à Inductiva, aliamos a nossa expertise em dados à capacidade desta startup em realizar milhares de simulações para mais rápido chegar a conclusões sobre o melhor caminho a adotar. No fundo, aquilo que estamos a fazer é trabalhar Data Science sem termos, efetivamente, os dados. A informação surge com base nas simulações da Inductiva”, explica Nuno Brás, co-fundador e Partner da DareData Engineering, em comunicado.

O setor industrial enfrenta um desafio de produtividade, na medida em que é dos que mais depende da recolha e análise de dados para melhoria de performance – fator que tem retardado a adoção da digitalização, na sua forma transversal, mas que vê este constrangimento atenuado com o recurso a esta solução agora apresentada.

Luís Sarmento, CEO e co-fundador da Inductiva.AI, acrescenta, também em comunicado, que “mesmo quando as instalações industriais estão equipadas com sensores para a recolha de dados de operação, existe sempre a limitação dos dados recolhidos se cingiram a cenários passados, tipicamente muito restritos e pouco variados. Com esta junção entre a Inductiva e a DareData, conseguimos ajudar a prever, através da simulação computacional, outros cenários de operação industrial que tornarão todo o processo produtivo muito mais eficiente, ou seja, na ausência de dados reais de operação, que é o cenário mais habitual, usamos simulação computacional em larga escala para gerar aquilo a que chamamos ‘dados sintéticos’, e que servem como ponto de partida para treinar modelos de machine learning. Portanto, estamos a falar de uma solução que potencia o uso de IA na prática, para levar muito mais rapidamente para o mercado produtos, ajudando a acelerar o negócio e, consequentemente, a própria economia. Ao mesmo tempo, reduzimos drasticamente a probabilidade de se cometerem erros na produção porque expandimos enormemente, fazendo uso da simulação, o número de cenários operacionais considerados pela IA”.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.