Microsoft lança ferramenta para detetar vídeos falsos

Numa tentativa de combater a desinformação, a Microsoft lançou uma ferramenta de software que ajuda a identificar fotos e vídeos denominados ‘deepfakes’

Microsoft lança ferramenta para detetar vídeos falsos

A capacidade de distribuir imagens falsas já existe há algum tempo. Alguns filmes já utilizaram a tecnologia para utilizar atores que já tinham falecido para interpretar os seus papeis em sagas conhecidas. Mais recentemente, surgiram casos de imagens que utilizaram o atual e o antigo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump e Barack Obama, em vários vídeos falsos.

Agora, a Microsoft lançou uma ferramenta de software que consegue identificar fotografias e vídeos falsos, também conhecidos como ‘deepfakes’ numa tentativa de combater a desinformação antes das eleições norte-americanas.

No blog da Microsoft, Eric Horvitz, Chief Scientific Officer, e Tom Burt, Corporate VP para a Segurança e Confiança dos Clientes, escreveram que “não há dúvidas de que a desinformação está espalhada”.

As várias campanhas de desinformação, levadas a cabo nas redes sociais, procuram difamar pessoas conhecidas, persuadir o público e polarizar os debates. “Relatórios recentes também mostram que a desinformação foi distribuída sobre a pandemia de COVID-19, levando a mortes e hospitalizações de pessoas à procura de supostas curas que são realmente perigosas”, escreve a Microsoft.

A ferramenta, intitulada de Microsoft Video Authenticator, “pode analisar uma foto ou vídeo para fornecer uma chance percentual, ou pontuação de confiança, de que o ficheiro foi manipulado artificialmente. No caso de um vídeo, pode fornecer essa percentagem em tempo real em cada frame à medida que o vídeo é reproduzido”.

Esperamos que os métodos de geração de media sintético continuem a crescer em sofisticação”, alertou a empresa. “Como todos os métodos de deteção de inteligência artificial têm taxas de falha, temos que perceber e estar prontos para responder a deepfakes que escapam aos métodos de deteção. Portanto, a longo prazo, devemos procurar métodos mais fortes para manter e certificar a autenticidade de artigos de notícias e outras medias”.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 26 Julho 2020

IT INSIGHT Nº 26 Julho 2020

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.