Instituto Politécnico de Viseu aposta na conectividade sem interrupções

A implementação do OpenRoaming veio potenciar uma melhoria na experiência dos utilizadores no acesso à rede Wi-Fi do Instituto Politécnico de Viseu

Instituto Politécnico de Viseu aposta na conectividade sem interrupções

Recentemente, o Instituto Politécnico de Viseu trocou todos os equipamentos da sua rede interna por equipamentos da Extreme Networks. Neste momento, todas as unidades orgânicas do Instituto Politécnico de Viseu (IPV) - cinco escolas e serviços centrais - estão ligadas por uma rede de alto débito, na periferia da cidade de Viseu e Lamego.

A necessidade de simplificar o onboarding dos utilizadores, reduzir o tempo gasto pela equipa de IT, assim como o incremento de segurança foram os principais desafios do IPV a que a Extreme se propôs responder.

A solução

A Extreme Networks colaborou com a Aptilo Networks para levar o OpenRoaming ao campus do IPV, realizando também a instalação de uma rede Wi-Fi 6.

Para o IPV, a escolha recaiu na solução da Extreme Networks devido à fiabilidade, desempenho dos equipamentos, a relação preço/qualidade e funcionalidades distintas de entre os demais fabricantes, que permitiu ter uma gestão centralizada com visibilidade de toda a rede, facilitando as configurações e resolução de problemas.

O IPV é a primeira organização em Portugal a aderir ao OpenRoaming da Wireless Broadband Alliance (WBA). Esta solução inclui vantagens tecnológicas e funcionais; para os utilizadores permite uma ligação Wi-Fi 6 de alta velocidade, segura e de qualidade com uma transição suave entre redes 4G/5G e à rede universitária fornece uma conectividade contínua, independentemente de onde se encontre o utilizador.

Relativamente a eventos no campus traz claras vantagens, facilitando a conectividade à rede de uma forma transparente e segura, retirando a necessidade de onboarding e eliminando redes wireless não encriptadas. Para os responsáveis de rede, o OpenRoaming, torna a gestão de rede mais simples e segura assim como possibilita a ligação a wireless de uma forma simples sem que exista perda do histórico ou definições.

A Aptilo Networks certifica-se a pessoa que se está a tentar ligar à rede, é, ou não, efetivamente a pessoa. Assim desta forma, os utilizadores quando se ligam à rede OpenRoaming, podem utilizar a suas contas do Google, Apple, Facebook, etc. Adianta também referir que já existem algumas operadoras de comunicações móveis, que permitem entrar com as credenciais do seu cartão SIM (cartão de chamadas, número de telemóvel).

O OpenRoaming apoia-se sobre protocolos existentes como o Passpoint 2.0, Radsec, 802.1x, e 802.11i para entregar uma conectividade segura sem comprometer a privacidade dos utilizadores.

Finalmente, existe ainda um potencial de negócio pois o OpenRoaming expande a capacidade do IPV albergar eventos dentro do seu campus de uma forma simples, segura e automática com a possibilidade de monetização dos mesmos.

Os resultados

“O fluxo de trabalho melhorou na medida em que a implementação do OpenRoaming veio aliviar o volume de trabalho e o stress sobre a nossa equipa de informática, não sendo necessário assim criar as credenciais de acesso exclusivo, mediante os eventos, nem é necessária uma autenticação quase manual por parte dos utilizadores quando acedem à rede. Os alunos e os demais utilizadores, que se ligarem, usam as suas próprias credenciais não deixando registo, isto porque, os seus dados passam por nós para o provedor de identidade, de forma totalmente encriptada”, explica Luís Almeida, administrador sénior de redes do Instituto Politécnico de Viseu.

O OpenRoaming está neste momento num estágio inicial, no entanto a Extreme Networks antevê uma evolução rápida e uma massificação desta tecnologia e por esta razão, o projeto do IPV é pioneiro no mercado europeu.

Para Nuno Rocha, Senior System Engineer e Rui Nunes, Senior Account Executive da Extreme Networks, “o OpenRoaming é a chave para um acesso fluido e seguro, requisito para instituições de ensino superior como o IPV que procuram dar aos alunos os melhores recursos possíveis para a sua educação. É nosso entender que o OpenRoaming terá um sucesso generalizado devido à sua simplicidade, a compatibilidade com equipamentos atuais e mais antigos, sendo uma tecnologia com aplicabilidade em ambientes diversos”.

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 39 Setembro 2022

IT INSIGHT Nº 39 Setembro 2022

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.