Organizações contratam cada vez mais serviços externos na sua jornada para a digitalização

Adquirir competências suficientes e compreender o desempenho da equipa são dois dos desafios que as organizações enfrentam na sua jornada para a digitalização que pode ser resolvida através da contratação de serviços externos. Ter serviços externos impacta positivamente áreas como a eficiência operacional e a resiliência

Organizações contratam cada vez mais serviços externos na sua jornada para a digitalização

A Schneider Electric e a IDC apresentaram o seu estudo "Maximizar a Resiliência Empresarial e Operacional através dos Serviços", que revela que uma grande percentagem de organizações (89%) estão a obter ganhos significativos nos seus objetivos organizacionais, trabalhando com uma empresa de serviços, especialmente em termos de eficiência operacional e resiliência.

O estudo mostra que existe uma ligação intrínseca entre instalações e operações comerciais. As organizações relataram problemas com a produção, segurança de dados e utilização de recursos devido a falhas nas instalações e operações. Neste sentido, 89% dos inquiridos afirmaram que a contratação de serviços externos teve um impacto positivo nos objetivos organizacionais, especialmente em áreas como a eficiência e a resiliência.

Assim, 39,8% dos inquiridos dizem ter ajudado a melhorar a qualidade ou eficácia do serviço, 37,9% melhorou a eficiência operacional das suas instalações e 35,7% optimizou a sua resiliência. Além disso, 32,4% referiu que a contratação de uma empresa de serviços profissionais permitiu-lhe adotar as melhores práticas e metodologias, enquanto 31,2% que libertaram os seus colaboradores internos para se concentrarem noutras iniciativas.

O estudo revela ainda que a falta de competências é e continuará a ser um grande desafio para a maioria das organizações, especialmente em domínios como cibersegurança, eficiência energética ou análise de dados e ativos. Especificamente, 47,9% dos inquiridos indicaram que a aquisição de competências suficientes seria um desafio significativo. Dada a importância da proteção contra ciberataques, muitas organizações continuarão a alavancar um serviço externo para colmatar esta lacuna.

Por outro lado, a compreensão do desempenho da equipa está a tornar-se cada vez mais importante, especialmente para as instalações críticas da missão, que dependem de grandes conjuntos de dados adicionados por terceiros, o que é difícil de alcançar sozinho. Neste sentido, 40% dos inquiridos que planeiam utilizar recursos internos para o fazer podem descobrir que não têm a necessária tecnologia e análise de big data.

Por esta razão, espera-se que a percentagem de organizações que dependem de um terceiro externo, que atualmente é de 9%, aumente.

O estudo conclui com uma série de recomendações dirigidas a organizações que pretendem melhorar a sua cibersegurança, eficiência operacional e sustentabilidade, incluindo encontrar formas de ser eficazes num vasto leque de iniciativas; incluir instalações e inovação operacional em iniciativas de sustentabilidade e segurança; procurar tecnologias que facilitem a transição para o acompanhamento sem intervenção e uma gestão mais proactiva e procurar parceiros experientes relacionados com o seu domínio.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 31 Maio 2021

IT INSIGHT Nº 31 Maio 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.