Dell volta a entrar em bolsa cinco anos depois

Em 2013, Michael Dell retirou a Dell da bolsa de Nova Iorque. Na última sexta-feira, a tecnológica voltou a figurar na lista de empresas da NYSE

Dell volta a entrar em bolsa cinco anos depois

A Dell esteve cinco anos fora da bolsa depois de, em 2013, Michael Dell ter retirado a empresa, que estava em declínio, através de um buyout de 25 mil milhões de dólares. Em 2018, a Dell é uma empresa diferente, com vários ganhos em cloud computing e com uma divisão de computadores, principalmente direcionados ao setor gaming, mais forte. Na última sexta-feira, dia 28 de dezembro de 2018, a Dell voltou a figurar na lista de empresas da NYSE. As ações começaram a 46 dólares.

No início de 2018, a Dell anunciou que se iria voltar à bolsa. O processo, no entanto, não foi fácil: envolveu comprar ações da VMware, negócio detido pela Dell. Estas ações faziam parte do negócio da compra da EMC há alguns anos. Deste modo, a Dell evitou o processo de IPO habitual. A Silver Lake, que retirou a empresa da bolsa em 2013 juntamente com o fundador, mantém a sua quota de 24% da Dell.

Em 2013, Michael Dell afirmou que operar enquanto “empresa privada” iria permitir ter uma maior flexibilidade e pensar numa estratégia a longo prazo, algo mais difícil quando a empresa está sob o escrutínio dos acionistas.

Já em 2017, durante o Dell EMC World, o fundador da empresa explicou que não estar em bolsa retirava da equação os potenciais problemas com empregados e clientes que podem ser influenciados por “acionistas ativistas” a tentar influenciar a estratégia de negócio da empresa.

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 17 Janeiro 2019

IT INSIGHT Nº 17 Janeiro 2019

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.