Forrester: “incerteza” vai criar oportunidades para os CIO em 2020

No relatório “Predictions 2020: CIO”, a Forrester revela as maiores oportunidades e desafios para os Chief Informations Officers durante o próximo ano, que será marcado pela incerteza económica

Forrester: “incerteza” vai criar oportunidades para os CIO em 2020

CIO vão transformar 10% das suas tarefas de IT em processos automatizados

A Forrester acredita que a volatilidade económica vai influenciar os CIO a concentrarem-se nas medidas de controlo de custos dos seus departamentos. É improvável dispensarem-se funcionários e provável que os CIO treinem as suas equipas para realizarem tarefas mais complexas associadas ao Agile e DevOps.

O relatório, citado pela revista Forbes, assinala que “embora as tecnologias de automação eliminem 1,2 milhão de empregos apenas nos EUA, os CIO olharão primeiro para os trabalhos de IT altamente padronizados e repetitivos”.

CIO vão ter mais atenção à estratégia de dados corporativos e ao orçamento para tecnologia

A estratégia de dados corporativos vai continuar a ser uma prioridade para os CIO, apesar daquilo que a Forrester considera uma “queda significativa” no interesse em big data em 2018 e 2019. O relatório observa que 2020 será um "ano de despertar" para os CIO, ano em que o custo total de uma estratégia de dados bem pensada se torna mais claro.

As empresas mais recentes que financiaram a estratégia de dados como um investimento em tecnologia vão hesitar em levar a cabo os esforços necessários para elevar a alfabetização de dados da força de trabalho, nomear novas funções, criar novas organizações de governance, mudar processos de negócios e contratar talentos escassos além da IT. Além disso, à medida que as empresas avançam mais na cloud e evoluem para sistemas de insights em tempo real no edge, o custo transacional do processamento e movimentação de dados ultrapassará o armazenamento. As empresas mais consolidadas vão entender os benefícios de corresponder a tudo isto e vão conseguir dobrar ou triplicar o seu orçamento no que toca à estratégia de dados”.

Mudar a dinâmica da workforce e da experiência do trabalhador – as pessoas vão estar no topo da agenda dos CIO

A Forrester conclui também que o progresso feito na transição da infraestrutura tradicional para a infraestrutura baseada na cloud vai deixar claro que os maiores problemas estão relacionados com as pessoas e não com a complexidade da tecnologia. Os gestores de IT que perceberem isso vão ser capazes de mudar a composição da workforce, e vão concentrar-se na agilidade de aprendizagem das equipas e formação dos trabalhadores, bem como na aquisição de talentos, e serão mais bem sucedidas.

Por outro lado, o atrito entre IT e Recursos Humanos continuará, e os CIO mais bem preparados vão ser capazes de fazer três coisas: levar workforce analytics para ajudar as empresas a prever melhor mudanças; ajudar a aplicar cognitive science como parte da experiência do trabalhador de forma a reduzir o atrito da tecnologia e maximizar a produtividade; e tornar-se "trusted advisors" na tecnologia de gestão de capital humano, de forma a perseguir uma abordagem "core and explore" para a racionalização do portfólio de RH.

As empresas mais bem posicionadas vão pedir aos CIO ajuda para navegar nos ecossistemas de inovação

A Forrester acredita que aquelas a que chama "empresas avançadas" estarão mais concentradas na inovação e, como tal, criarão ecossistemas digitais para promover as suas ambições de crescimento. No próximo ano, isto levará a uma complexidade crescente nesse ecossistema, e os CIO vão precisar de resolver o problema, que cada vez mais será encarado em board-level.

A Forrester observa que os CIO estão bem equipados para liderar essas iniciativas, dada a complexidade das tarefas com as quais lidam, relacionadas com tecnologia, serviços e gestão de fornecedores.

Empresas com CIO que reportem a CFO ou COO não vão cumprir as metas de crescimento

Hoje em dia, metade dos CIO já reporta diretamente aos CEO. No entanto, "as empresas que alinham os CIO sob o CFO ou COO estão a medir estes profissionais por metas financeiras e operacionais, negligenciando métricas orientadas para o crescimento, como o NPS e o índice de experiência do cliente", e estas não terão tanto sucesso na integração de dados ou no direcionamento da experiência completa do cliente. O relatório conclui que "essas empresas vão ter dificuldade em atingir as suas metas de crescimento à medida que os clientes se cansam da falta de informações e da lenta entrega de valor".

As empresas “menos avançadas” vão concentrar-se no desenvolvimento de novas funções executivas, como Chief Growth Officers, em vez de garantirem a integração das funções c-suite existentes numa dinâmica mais colaborativa.

A Forrester acredita que “as empresas avançadas elevarão o papel do CIO como orquestrador de informações, sistemas e transformação de negócios. Além disso, eles nomearão CIO que podem atuar como líderes de negócios colaborativos em vez de apenas serem bons gerentes de tecnologia”.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 22 novembro 2019

IT INSIGHT Nº 22 novembro 2019

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.