DeepTech vai transformar indústrias e endereçar desafios globais

Investigação da IDC analisar o potencial da DeepTech na Europa que, diz, deverá transformar as indústrias e endereçar os principais desafios mundiais

DeepTech vai transformar indústrias e endereçar desafios globais

Num estudo recentemente publicado, a equipa de Tecnologias Emergentes da IDC investigou o potencial da DeepTech na Europa. A IDC define DeepTech como “uma categoria de tecnologias emergentes, construídas com base na inovação científica e de engenharia, cujo foco principal é enfrentar os desafios sociais”.

Numa era marcada por rápidos avanços tecnológicos, o surgimento da DeepTech está preparado para remodelar as indústrias e contribuir significativamente para a consecução dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (SDG, na sigla em inglês) das Nações Unidas. A DeepTech aventura-se para lá da lucratividade convencional, com o objetivo de abordar questões globais complexas em áreas como saúde, sustentabilidade e transporte, entre outros. Estas tecnologias estão prontas para causar um impacto social profundo, alinhando-se com os SDG da ONU e ultrapassando os limites dos desenvolvimentos tecnológicos atuais.

De acordo com a IDC, a DeepTech abrange uma gama diversificada de tecnologias emergentes, incluindo Inteligência Avançada (IA, interfaces homem-máquina e swarm intelligence), computação de próxima geração (como computação quântica e computação neuromórfica) e aumento humano (robótica, tecnologias XR e dispositivos). Estas tecnologias, embora ainda numa fase inicial, prometem revolucionar as indústrias e melhorar a qualidade de vida em todo o mundo.

Apesar dos desafios associados ao seu desenvolvimento e adoção, as soluções DeepTech têm despertado interesse em vários setores. Dos serviços públicos aos serviços profissionais, as organizações estão a reconhecer o potencial transformador destas tecnologias em áreas como veículos autónomos e elétricos, tecnologias avançadas de baterias, agricultura de próxima geração e tecnologias de captura de carbono.

As instituições europeias, incluindo a Comissão e o Banco Europeu de Investimento, juntamente com a ONU, emergiram como principais proponentes de iniciativas DeepTech. Através de programas como o Horizon 2020 e o DeepTech4Good, estas entidades demonstram o seu compromisso em apoiar o desenvolvimento e implementação de soluções DeepTech.

Para desbloquear todo o potencial da DeepTech, é essencial um ecossistema robusto de investidores, decisores políticos e organizações empresariais. Iniciativas como o Fundo do Conselho Europeu de Inovação e vários fundos nacionais desempenham um papel crucial no fornecimento de apoio financeiro às startups DeepTech, garantindo o seu crescimento e sucesso.

A DeepTech representa uma mudança de paradigma na inovação tecnológica, enfatizando a importância de enfrentar os desafios sociais juntamente com os interesses comerciais. Ao alavancar descobertas científicas avançadas, estas tecnologias têm o potencial de impulsionar mudanças significativas e criar oportunidades para o crescimento económico”, disse Lapo Fioretti, Senior Analista de Pesquisa, Tecnologias Emergentes e Macroeconomia, na IDC, em comunicado.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 48 Março 2024

IT INSIGHT Nº 48 Março 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.