Cloud traça futuro do setor financeiro

Estudo da Google indica que 83% dos líderes empresarias garantem que a sua empresa está a implantar tecnologias em cloud como parte das principais infraestruturas de computação.

Cloud traça futuro do setor financeiro
 

A cloud tem um peso cada vez maior no mercado financeiro, revela novo estudo da Google, com os bancos a moverem as operações core para a nuvem. A tendência é indicadora de uma tentativa dos bancos de modernizar os seus modelos e equipas de IT e proporcionar serviços mais eficientes que favorecem as necessidades dos clientes. "As organizações de serviços financeiros devem continuar a maximizar o potencial da tecnologia migrando as principais cargas de trabalho principais para a cloud", escreveu Zac Maufe, diretor executivo do Google Cloud Financial Services, numa publicação no site.

O estudo inquiriu mais de 1300 líderes da indústria financeira a nível global, dos quais 83% garantem que a sua empresa está a implantar tecnologias em cloud como parte das suas principais infraestruturas de computação. Por outro lado, apenas 17% dos decisores afirmam utilizar principalmente serviços on-premises, dos quais 40% tencionam fazer a transição para a cloud durante o próximo ano. 

A computação em cloud é considerada uma tecnologia chave para o futuro do setor financeiro não só para perpetuar uma melhor resiliência operacional, protegendo o workload de falhas, como para instigar a inovação, com a criação de novos produtos e serviços. Além disso, uma análise recente do Banco de Inglaterra estima que a adoção da cloud pode reduzir os custos de infraestrutura até 50%.

Contudo, a principal razão apontada pelos decisores para a transição para a cloud concerne a fácil e rápida adaptação às expectativas dos clientes. Com start-ups de fintech nascidas na cloud a tomarem posições importantes no mercado, a cloud representa um meio para as organizações tradicionais equipararem a competição e se manterem a par das tendências inovadoras do mercado."É como se houvesse dois tipos de bancos. Há os bancos tradicionais, que têm por base tecnologia herdada, e aqueles como o Revolut e todos os outros bancos que estão a começar e que nascem na cloud e nascem para serem digitais", afirma Leighton James, CTO da UKCloud, que fornece serviços multicloud para organizações do setor público no Reino Unido, em declarações à ZDNet.

Contudo, para infraestruturas críticas como as finanças, a utilização da cloud vem com riscos acrescidos. Atualmente, o mercado de cloud é partilhado por empresas big tech, com cinco fornecedores principais que possuem 80% das ações - a AWS da Amazon detém 41% do mercado e o Microsoft Azure representa quase 20%. Assim, enquanto por um lado terceirizar os serviços financeiros para um conjunto pequeno de fornecedores proporciona uma infraestrutura resiliente, há sempre o risco de falha e com todos os bancos a utilizar os mesmos sistemas, todo o mercado financeiro pode ficar comprometido. Como tal, para lidar com os desafios de segurança, as estratégias de cloud devem incluir planos de gestão de risco adequados.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 33 Outubro 2021

IT INSIGHT Nº 33 Outubro 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.