Portugal desenvolve estratégia de computação avançada

Arrancou durante o mês de maio o desenvolvimento da Estratégia Nacional de Computação Avançada. Esta estratégia está alinhada com a agenda europeia em termos de computação

Portugal desenvolve estratégia de computação avançada

O desenvolvimento da Estratégia Nacional de Computação Avançada arrancou durante este mês de maio e está já a ser preparada pelo INCoDe.2030, Iniciativa Nacional Competência Digitais e.2030, em articulação com a estratégia da EuroHPC-JU, a empresa comum europeia para a computação de alto desempenho. A estratégia alinha-se com a agenda europeia em matéria de computação, na qual a Comissão investiu cerca de mil milhões de euros até 2020.

O objetivo da Advanced Computing Portugal 2030 é definir metas, objetivos e ações, envolvendo a Indústria, o Ensino Superior e as Unidades de Investigação, numa cooperação que irá colocar Portugal no grupo cimeiro da Computação Avançada a nível Europeu.

A computação de alto desempenho tem vindo a tornar-se uma ferramenta indispensável na era digital, melhorando a capacidade de processamento e análise de dados por parte de investigadores, empresas e Governos. A par da Inteligência Artificial, Big Data e Internet of Things, o acesso a computação de alto desempenho é hoje imprescindível numa lógica de inovação e competitividade.

Neste contexto, Portugal faz parte do grupo pioneiro de seis países que assinaram a Declaração da EuroHPC, em março de 2017, numa parceria comunitária para o desenvolvimento de recursos Europeus de computação avançada. Segundo um comunicado da Comissão Europeia, divulgado em janeiro de 2018, “a contribuição da UE para a EuroHPC será de cerca de 486 milhões de euros no âmbito do atual Quadro Financeiro Plurianual, a que acrescerão as contribuições dos Estados-Membros e de países associados, de montante total semelhante. Globalmente, até 2020, o investimento público ascenderá a cerca de mil milhões de euros, a que se juntarão contribuições em espécie das entidades privadas participantes na iniciativa”.

A elaboração desta Estratégia Nacional dá continuidade aos esforços que Portugal tem levado a cabo para o avanço do eixo 5 da INCoDe.2030, dedicado à investigação científica.

O Quanta Lab – Laboratório de Ciência, Tecnologia e Materiais Quânticos que arrancou em julho de 2016, nas instalações do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, em Braga é um dos projetos pioneiro desse esforço, a que se seguiu, em novembro de 2017, a criação do Minho Advanced Computing Centre, que inclui 20 bastidores da plataforma de computação avançada STAMPEDE 1, fruto da Parceria Internacional Portugal e a Universidade do Texas em Austin. Juntamente com Espanha, em abril do presente ano, Portugal submeteu uma proposta para instalação e gestão de infraestruturas de supercomputação, a promover no âmbito da Rede Ibérica de Comutação Avançada (RICA), estabelecida em novembro de 2018.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 19 Maio 2019

IT INSIGHT Nº 19 Maio 2019

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.