IA melhora diferentes setores, mas é preciso abordagem humana

Durante o DES, foi realçado a importância da inteligência artificial e como a tecnologia pode melhorar as diferentes indústrias, mas é necessária uma abordagem humana e uma framework regulatória

IA melhora diferentes setores, mas é preciso abordagem humana

A aplicação de Inteligência Artificial (IA) está a alcançar enormes avanços na indústria, desde a otimização da produtividade até à hiperpersonalização no atendimento ao cliente, estimulando a criatividade e melhorando a saúde das pessoas. Durante DES - Digital Enterprise Show, realizado em Málaga, Espanha, abordou como é que a aplicação da IA está a contribuir como alavanca para a transformação e competitividade das empresas.

No setor da saúde, a IA está a obter grandes benefícios na melhoria do bem-estar das pessoas. Porém, com o aumento dos neurodados, é necessário garantir novos direitos individuais, impulsionar a regulação, bem como a utilização responsável da tecnologia. Ana Maiques, CEO da Neuroelectrics, abordou as possibilidades oferecidas pela aplicação da IA à neurociência. “Usando gémeos neurais para ver o que acontece em cérebros que sofrem de depressão, epilepsia, etc., também podemos estimular o cérebro com eletrochoques para tratá-los”, explica. No entanto, Maiques levantou desafios de privacidade. “Neste momento, podemos optar por não ter perfis nas redes sociais se não quiser ver o que há nestes locais. Mas uma vez que se têm coisas implementadas no cérebro, não há escolha. É uma grande incógnita o que tecnologias como os implantes vão fazer às pessoas”.

Poonacha Machaiah, CEO da Fundação Chopra, disse que “o futuro da IA na saúde é tornar as doenças ‘opcionais’. Não devemos morrer de doenças, que se devem em grande parte a fatores de estilo de vida e não à genética”. Ao mesmo tempo, defendeu uma utilização consciente dos dados e considerou que a aplicação correta de IA pode ajudar a neutralizar episódios de suicídio e outras tecnologias, como o metaverso, podem ajudar na recuperação de traumas e fobias.

Ao mesmo tempo, Oualae Alami, Líder Comercial Global, Combos e Vacinas contra a Influenza da Pfizer destacou as melhorias que a IA está a trazer para a identificação precoce de cancro e a otimização dos tratamentos. Também considerou que esta tecnologia pode melhorar o acesso ao tratamento e à informação de saúde com equidade, mas para isso “precisamos de uma boa representação da etnia e de género, e precisamos de garantir que a IA corrige alguns dos preconceitos e erros que a ciência teve no passado”.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.