Cinco tendências que vão esbater a fronteira entre humanos e máquinas

São 35 as tecnologias “must-watch” incluídas pela Gartner no “Hype Cycle for Emerging Technologies 2018”, de onde a consultora extraiu cinco tendências.

Cinco tendências que vão esbater a fronteira entre humanos e máquinas

A fronteira que separa o ser humano das máquinas tende a esfumar-se e tecnologias emergentes, como a inteligência artificial (IA) são críticas para que as empresas consigam tornar-se ubíquas, sempre disponíveis e conetadas a ecossistemas de negócio - três caraterísticas essenciais à sobrevivência dos negócios num futuro próximo.

“Os líderes de negócio e de tecnologia continuarão a enfrentar rapidamente a aceleração da inovação tecnológica, que impactará profundamente a maneira como se envolvem com a sua força de trabalho, como colaboram com seus parceiros de negócio e como criam produtos e serviços para os seus clientes”, refere Mike J. Walker, research vice president na Gartner. “Os CIO e os líderes tecnológicos devem examinar o mercado, avaliar e testar tecnologias emergentes para identificar novas oportunidades de negócio com alto potencial e relevância estratégica para os seus negócios”.

O relatório “Hype Cycle for Emerging Technologies” fornece uma perspectiva sobre vários setores no que diz respeito às tecnologias e tendências que os diretores de inovação, líderes de I&D, empreendedores e developers devem considerar no momento de desenvolver de portfólios de tecnologias emergentes.

O relatório em questão reúne insights de mais de duas mil tecnologias, compilando-as num conjunto de 35 tecnologias emergentes e tendências Este ano, o Hype Cycle foca-se num conjunto de tecnologias promissoras no que diz respeito a melhorar a competitividade das empresas no próximos cinco a dez anos.
 
Eis as cinco tendências tecnológicas emergentes:

 

IA democratizada

As tecnologias de IA estarão por toda a parte na próxima década. Embora estas tecnologias permitam que os early adopters se adaptem a novas situações e solucionem problemas previamente não detetados, a Gartner diz que estas estarão “acessíveis às massas”. Movimentos e tendências como o cloud computing, a comunidade de developers e o open source acabaram por colocar a IA nas mãos de todos.

Tecnologias por detrás desta tendência: Plataform-as-a-service (PaaS), Inteligência Artificial Geral (que consegue pensar como um humano), condução autónoma  (níveis 4 e 5), robôs móveis autónomos, plataforma de conversação de IA, redes neurais profundas, veículos autónomos voadores, robôs inteligentes e assistentes virtuais.

"As tecnologias que representam a IA democratizada povoam três das cinco seções do Hype Cycle, e algumas delas, como as redes neurais profundas e as assistentes virtuais, alcançarão adoção em massa nos próximos dois a cinco anos", avança o analista da Gartner. "Outras tecnologias emergentes nesta categoria, como os robôs inteligentes ou a IA PaaS, também estão a mover-se rapidamente no Hype Cycle, aproximando-se do pico. Em breve, terão ultrapassado esse limite".
 

Ecossistemas digitalizados

As tecnologias emergentes exigem que se revolucionem as fundações que entregam o volume necessário de dados, poder de computação avançado e ecossistemas que possibilitam a omnipresença. A mudança de um infraestrutura técnica compartimentada para plataformas de capacitação de ecossistemas está a lançar as bases para modelos de negócios totalmente novos, que estão a estabelecer uma ponte entre os seres humanos e a tecnologia.

Tecnologias por detrás desta tendência: blochckain, blockchain para segurança de dados, digital twin, plataformas de IoT e diagramas de conhecimento (knowledge graphs).

"As plataformas de blockchain e de IoT já ultrapassaram o pico", indica Walker. "Acreditamos que atingirão a maturidade nos próximos cinco a 10 anos".

 
Biohacking nas mãos de todos nós

Na próxima década, a humanidade começa uma era "transhumana", segundo a Gartner, com o biohacking, a prática modificar o corpo do mesmo modo que se modifica a configuração de um computador) a ganhar espaço. No entanto, a consultora alerta para os dilemas éticos que esta nova era levanta uma vez que a sociedade pode não estar preparada para este tipo de aplicação tecnológica.

Tecnologias por detrás desta tendência: biochips, tecidos artificiais, interface cérebro-humano, realidade aumentada, realidade mista e tecidos inteligentes.

A realidade aumenta e mista, diz a Gartner, são tecnologias pioneiras que vão ser seguidas pelos biochips, que já atingiram o seu pico.

 

Experiências imersivas e transparentes

A tecnologia continuará a tornar-se mais human-centric, ao ponto de introduzir transparência entre pessoas, negócios e objetos. Estas tecnologias vão ampliar e possibilitar modos de vida e de trabalho mais inteligentes.

Tecnologias por detrás desta tendência: impressão 4D, casas conetadas, IA no edge, tecnologia self-healing, smart workspace, baterias de ânodo de silício (uma evolução das baterias de lítio).

"Tecnologias emergentes que representam experiências transparentemente imersivas estão, na sua maioria, a caminhar para o pico ou - no caso de baterias de ânodo de silício - apenas cruzaram", indica Mike J. Walker. "O espaço de trabalho inteligente avançou bastante e está prestes a atingir um pico num futuro próximo."

 
Infraestrutura ubíqua

A Gartner é clara: a infraestrutura já não é o meio pelo qual as organizações alcançam os seus objetivos. O advento e a popularidade da cloud, a par das suas inúmeras variações, possibilitou ambiente de computação ilimitado, sempre disponível e sempre ligado.  

Tecnologias por detrás desta tendência: 5G, redes neutrais profundas, hardware neuromórfico e computação quântica.

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 16 Novembro 2018

IT INSIGHT Nº 16 Novembro 2018

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.