Inflação faz frente a e-commerce no terceiro trimestre

Apesar de os consumidores estarem a pagar mais pelos mesmos produtos, com um aumento de 12% nos preços, o comércio online cresceu 11% no terceiro trimestre

Inflação faz frente a e-commerce no terceiro trimestre
 

O e-commerce cresceu 11% no terceiro trimestre de 2021, mas apesar do crescimento, os dados do Shopping Index Report da Salesforce apontam para uma inflação preocupante, que faz descer o tráfego online em todas as categorias e setores, com os consumidores a pagarem mais 12% pelos mesmos produtos.

A performance do retalho no terceiro trimestre foi forte, com os gastos online a nível global a crescerem 11% em relação ao período homólogo, uma recuperação face aos 2% do trimestre anterior. A categoria mobília continua a demonstrar uma boa performance, registando o maior crescimento em relação a outras categorias, com um aumento de 50%. Já a categoria de eletrónica e acessórios observou a maior queda nos gastos dos consumidores - 9%.

É de notar que o crescimento das compras online é uma combinação entre o aumento no tráfego e o gasto dos consumidores e, este ano, é a primeira vez que se assiste a um aumento impulsionado inteiramente pelo crescimento do gasto por parte do consumidor, ao mesmo tempo que o tráfego está a diminui 2%. Contudo, a Salesforce indica que “não se trata de um declínio surpreendente”, devido ao retorno à vida normal pós-pandemia, que poderá significar menos visitas online e mais tráfego físico. Mas os aumentos nos gastos dos consumidores estão a assegurar o crescimento do e-commerce, com um aumento de 13% no terceiro trimestre.

À medida que a economia emerge da pandemia, “era expectável que a inflação tivesse um efeito temporário sobre os preços, mas, oito meses depois, a realidade é clara: a inflação veio para ficar por muito mais tempo do que pensávamos inicialmente”, nota a Salesforce em comunicado enviado à redação. Impulsionada por uma maior procura por parte dos consumidores, por mais gastos governamentais, escassez de mão de obra e crise nas cadeias de valor, a inflação está a ter um impacto significativo na carteira dos consumidores.

O gabinete de estatística americano estima que a inflação em setembro e em todos os setores foi de 5,4%, impulsionada principalmente por aumentos acentuados nos preços da energia. No entanto, os dados da Salesforce mostram algo diferente. Enquanto o instituto americano analisa dados através de uma combinação de pesquisas com consumidores e dados recolhidos junto do retalho, escritórios profissionais, e outros estabelecimentos, a Salesforce analisa dados transacionais de compras online e são tidos em conta os preços que os consumidores estão a pagar este ano – pelos mesmos produtos em comparação com o ano anterior – bem como os preços dos novos produtos que entraram no mercado, em comparação com o ano passado. 

O relatório refere que a inflação está a afetar o retalho e o consumo a um ritmo mais rápido. No terceiro trimestre de 2021, os consumidores em todo o mundo pagaram 12% a mais pelos mesmos produtos que compraram no ano passado. Os móveis estão a ter o maior aumento nos preços, crescendo 32% no último trimestre, devido aos desafios que a cadeia de valor da indústria enfrentou com a pandemia. Já a eletrónica e os brinquedos estão a demonstrar um aumento nos preços sem precedentes, com ambos a registarem um crescimento de 21% em relação ao ano passado.

Olhando para produtos acabados de chegar ao mercado, o crescimento é ainda mais expressivo. Os novos produtos estão listados a um preço médio 14% superior aos novos itens que chegaram ao mercado no terceiro trimestre de 2020. Os setores que lideram são os da beleza, brinquedos, decoração e malas de senhora.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.