Digitalização durante pandemia permite poupar quatro horas de trabalho por semana

Estudo da Salesforce indica que 75% das empresas que implementaram a automação do fluxo de trabalho viram poupanças superiores a quatro horas por cada semana de trabalho de 40 horas

Digitalização durante pandemia permite poupar quatro horas de trabalho por semana

A Salesforce anunciou os resultados do Relatório ‘Trends in Workflow Automation’, que analisa em diversos aspetos o impacto da automação do fluxo de trabalho e do envolvimento entre o colaborador e o cliente.

O relatório destaca que 75% das empresas que implementaram a automação do fluxo de trabalho viram poupanças superiores a quatro horas por cada semana de trabalho de 40 horas. Adicionalmente, o barómetro identifica que 87% dos clientes (finais e corporativos) espera que as empresas acelerem as iniciativas digitais devido à Covid-19, sendo que 67% afirma que a pandemia elevou as suas expectativas em relação aos recursos digitais das empresas.

A pandemia Covid-19, e os seus efeitos colaterais, criaram a urgência para que as empresas se adaptassem a um novo conjunto de necessidades e hábitos dos clientes, acelerando o que anteriormente eram lentas transformações de digitalização. Com restrições à interação física e uma mudança repentina no estilo de vida e nos negócios dos clientes, verificou-se um forte apelo para a mudança digital.

A crescente procura dos clientes impactou os colaboradores que, paralelamente, se acostumavam a novos ambientes de trabalho e lidavam com situações pessoais em consequência da pandemia. Para muitos, os dias de trabalho são mais longos do que anteriormente à pandemia. Segundo o relatório, 35% dos colaboradores em teletrabalho durante a pandemia relatam trabalhar até mais tarde do que o usual. Adicionalmente, quatro em cada cinco executivos de empresas com pelo menos 10% de crescimento de receita afirma que a experiência do colaborador é o objetivo principal. A automação surge assim como um imperativo tecnológico, reduzindo custos e tempo.

A Covid criou uma enorme pressão para que as empresas digitalizassem e automatizassem rapidamente os fluxos de trabalho, para lidarem com a ameaça tripla de colaboradores sobrecarregados, mudando as expectativas dos clientes e novos processos”, explica John Kucera, SVP of Product Management Automation da Salesforce, acrescentando que “as empresas voltaram-se para a automação do fluxo de trabalho, utilizando o low-code para automatizar tarefas repetitivas, libertando os colaboradores para fazer conexões humanas com os clientes e ajustarem-se às necessidades dos negócios que estão em constante mudança”.

Com os colaboradores a serem solicitados para fazerem mais com menos, 95% dos líderes de TI e engenharia afirmam que as suas empresas estão a priorizar a automação do fluxo de trabalho. Adicionalmente, 75% das empresas que implementaram a automação do fluxo de trabalho viram poupanças superiores a quatro horas por cada semana de trabalho de 40 horas.

Os colaboradores têm assim mais tempo para o trabalho estratégico, à medida que as tarefas manuais mudam do humano para a máquina. O relatório salienta que 78% dos líderes de TI e engenharia atualmente usa ou planeia utilizar inteligência artificial (IA) como parte das suas iniciativas de automação do fluxo de trabalho.

Se há algo que 2020 nos ensinou, é que o mundo agora é totalmente digital e não há como voltar atrás. Os clientes esperam respostas mais rápidas, se não instantâneas, para casos mais complicados, em mais canais do que nunca - e adicionar mais colaboradores não pode ser a única resposta”, explica Clara Shih, CEO da Service Cloud. “Neste tipo de ambiente, os líderes de serviço ao cliente devem procurar bots com tecnologia de IA, auto-atendimento e uma gestão do trabalho mais tecnológica para encaminhar de forma inteligente os pedidos dos clientes para a pessoa indicada, que tenha as capacidades certas, com o objetivo de reduzir a carga das equipas de apoio ao mesmo tempo que se responde às expectativas dos clientes”.

A inteligência artificial tornou-se numa ajuda muito relevante no atendimento ao cliente, trabalhando nos bastidores para levantar insights e recomendações, preencher dados e acionar processos. Ainda assim, segundo o relatório, há espaço para crescimento, uma vez que menos de 50% das equipas de apoio ao cliente indicam que já utilizam IA, mas a maioria dos decisores deste departamento afirma ter um plano de IA totalmente definido. Paralelamente, 33% dos decisores relatam que as suas empresas usam IA, o que representa um aumento de 37% desde 2018, e ainda 71% destes mesmos decisores afirmam que estão a acelerar as iniciativas de automação.

No universo do apoio ao cliente, a automação é a resposta para aliviar as crescentes cargas de trabalho. Processos manuais demorados, como a recolha de informações de histórico e a condução do trabalho após o caso, tais como ações de acompanhamento, podem frustrar o cliente e os colaboradores. Segundo o barómetro apresentado, 57% dos clientes afirma que a Covid-19 elevou os seus padrões de serviço ao cliente, 73% dos profissionais de apoio ao cliente dizem que gerir o volume de casos tornou-se mais desafiador. Para alívio destes, 39% das empresas de apoio ao cliente utilizam chatbots, o que representa um aumento de 72% desde 2018.

A inteligência artificial tornou-se mainstream nas vendas. Segundo os os inquiridos, a IA ajuda os representantes a responder melhor às necessidades dos clientes, razão pela qual tem crescido rapidamente no campo das vendas, ajudando a melhorar a precisão das previsões e as perceções do cliente. Ainda assim, os líderes das empresas dizem que o impacto mais significativo da IA está diretamente ligado ao relacionamento com o cliente, pois esta tecnologia permite passar mais tempo com cada cliente para entender melhor as suas necessidades únicas. Segundo os dados do relatório, 33% das empresas de vendas utilizam IA, o que representa um aumento de 49% em relação aos números de 2018, e 90% dos representantes de vendas afirmam que o atual cenário económico torna importante antecipar as necessidades dos clientes.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 30 março 2021

IT INSIGHT Nº 30 março 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.