Branded Content

Max2Green, a plataforma integrada para as cidades cognitivas

“Centros urbanos mais eficientes, atrativos e competitivos, com especial foco nas áreas de mobilidade, eficiência energética e na gestão de resíduos.”

Max2Green, a plataforma integrada para as cidades cognitivas

Ao longo das últimas duas décadas, as cidades têm tido taxas de crescimento incomparáveis com qualquer outro período do passado. Os espaços urbanos aumentaram em todo o mundo, fruto da redução das oportunidades de emprego rurais e da procura por melhores condições de vida no espaço urbano. Algumas estimativas sugerem que, até 2050, 66% da população global passe a habitar em zonas urbanas.

Esta tendência introduz alguns temas referentes aos efeitos, quer ambientais, quer socioeconómicos, resultantes do impacto da urbanização no planeta. O desafio, a longo prazo, passa por prover estas populações de recursos essenciais, desde energia, água e alimento, ao mesmo tempo que é garantida uma completa sustentabilidade económica, social e ambiental. Neste sentido, tem assumido uma grande centralidade o objetivo de alcançar novos métodos que permitam incrementar a eficiência de serviços urbanos, com recurso a soluções inteligentes, que utilizam dados gerados para apoiar a tomada de melhores decisões.

Neste âmbito, surge o conceito de Cidades Cognitivas, o qual tem na sua génese a ideia de, através da incorporação de sensores e tecnologias de Big Data e com recurso a ferramentas de Internet of Things (IoT), proporcionar uma nova visão e forma de gestão das cidades, que permita uma análise mais holística e, simultaneamente, mais customizada às necessidades específicas de cada serviço, de cada cidade e em cada momento. Hoje em dia há efetivamente cidades a serem repensadas e reinventadas com esse propósito, tornando-as mais competitivas e mais eficientes na gestão dos seus serviços e, por inerência, dos seus recursos.

Muitas das nossas cidades já se posicionam atualmente como Cidades Cognitivas, desenvolvendo estratégias de governação e participação que passam por tirar partido da tecnologia e de ferramentas analíticas para fazer face aos desafios e também às oportunidades da construção de centros urbanos mais eficientes, atrativos e competitivos, com especial foco nas áreas de mobilidade, eficiência energética e na gestão de resíduos.

Foi neste contexto que a Softinsa desenvolveu o Max2Green, uma plataforma centrada em dar uma resposta eficaz aos desafios das cidades, tanto em termos operacionais como de gestão, e com o objetivo de reduzir a pegada ecológica, otimizar os recursos e a melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

O Max2Green, composto por um conjunto de soluções que estão já a ser utilizadas em alguns dos nossos municípios, contempla:

  • Capacidade analítica que, de forma inteligente, consegue determinar a forma mais eficiente para gerir os serviços prestados aos cidadãos, nomeadamente as luminárias, contadores de água, gestão de resíduos, de regas e de estacionamento;
  • Interface amigável e centralizado, em ambiente web e mobile, com capacidade de gestão e monitorização em tempo real dos serviços e operações;
  • Sistema de alarmística que permite dar uma resposta rápida e coordenada a qualquer ocorrência na cidade;
  • Escalabilidade para incrementar de forma contínua fontes de dados e áreas analisadas.

Do ponto de vista prático, um dos mais recentes projetos é o do Município de Tomar, que teve como base a instalação de uma rede LoRa (Long Range), para a monitorização de vários aspetos da cidade, englobando a iluminação pública, estacionamento, qualidade do ar, qualidade da água do rio Nabão, risco de cheias e de roubos de água nas bocas de incêndio.

A Câmara Municipal de Portalegre está também a implementar um novo e inovador sistema de iluminação pública com lâmpadas LED, na promoção da eficiência energética global do território, que implica a substituição de mais de 5000 luminárias em todo o concelho e cujo centro de controlo está assente na plataforma Max2Green. A conversão da iluminação convencional vai permitir a implementação de um sistema de telegestão individualizada e uma poupança energética na ordem dos 78%.

Em termos de mobilidade urbana, desenvolvemos para o Município de Viseu, a plataforma “MUV na Palma da Mão”, para uma gestão mais inteligente dos transportes, permitindo aos cidadãos consultar as diferentes localizações por tipo de serviço e fazer a reserva de determinados meios de transporte.

 

Conteúdo co-produzido pela MediaNext e pela Softinsa

Tags

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 33 Outubro 2021

IT INSIGHT Nº 33 Outubro 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.