Maioria dos trabalhadores usam dispositivos de trabalho para tarefas pessoais

Além do uso indevido de dispositivos de trabalho, os colaboradores ainda utilizam dispositivos potencialmente inseguros para se conectarem à rede corporativa

Maioria dos trabalhadores usam dispositivos de trabalho para tarefas pessoais

A HP publicou um estudo que mostra como mudar estilos e comportamentos de trabalho está a criar novas vulnerabilidades para as organizações e para os seus dados. De acordo com os resultados, 70% dos trabalhadores do escritório admitem usar os seus dispositivos de trabalho para tarefas pessoais, enquanto 69% usam computadores portáteis ou impressoras pessoais para atividades de trabalho. Quase um terço (30%) trabalhadores remotos inquiridos deixaram outra pessoa usar o seu dispositivo de trabalho.

Posto isto, os colaboradores em trabalho remoto estão a tornar-se cada vez mais visados por hackers. A KuppingerCole, uma empresa internacional de analistas independentes que contribuiu para o relatório da HP, nota que houve um aumento de 238% no volume global de ciberataques durante a pandemia.

O estudo refere ainda que 76% dos trabalhadores de escritórios dizem que trabalhar a partir de casa tem desfocado as linhas entre a sua vida pessoal e profissional. 27% sabem que não devem partilhar dispositivos de trabalho, mas afirmam que "não tinham escolha", metade vê os seus dispositivos de trabalho como um dispositivo pessoal. 85% dos decisores de IT temem que este comportamento se torno numa quebra de segurança.

No ano passado, 54% dos gestores de IT viram um aumento no phishing, 56% reportaram um aumento nas infeções relacionadas com o navegador da Web, 44% viram dispositivos comprometidos serem usados para infetar o negócio geral, e 45% relataram um aumento nas impressoras comprometidas sendo usadas como um ponto de ataque.

71% dos colaboradores inquiridos dizem ter acesso a mais dados da empresa, mais frequentemente a partir de casa agora do que antes da pandemia, especialmente dados de clientes e operacionais (43% cada) e registos de recursos financeiros e humanos (23% cada).

Ao mesmo tempo, o relatório mostra que os trabalhadores de escritórios inquiridos estão a utilizar cada vez mais os seus dispositivos de trabalho para tarefas pessoais, como o download da Internet (33%), a jogar (27%) e serviços de streaming de acesso (36%).

Os hackers estão a aproveitar-se destes padrões de mudança para adaptar as suas campanhas de phishing. De acordo com a KuppingerCole, houve um aumento de 54% em atores maliciosos que exploram plataformas de jogos entre janeiro e abril de 2020, muitas vezes direcionando os utilizadores para páginas de phishing. 

82% dos trabalhadores inquiridos no relatório afirmam ainda ter trabalhado mais a partir de casa desde o início da pandemia do que antes, enquanto 39% esperam trabalhar predominantemente a partir de casa após a pandemia ou dividir o seu tempo igualmente entre o trabalho doméstico e o trabalho de escritório. Portanto, muitos destes riscos permanecerão quando o mundo voltar à "normalidade".

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 31 Maio 2021

IT INSIGHT Nº 31 Maio 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.