Empresas apostam em formas de registo online mais user-friendly

Segundo um novo estudo, 70% das empresas vão priorizar o investimento em customer experience nos próximos 12 meses, tendo em vista terminar com registos demasiado complexos

Empresas apostam em formas de registo online mais user-friendly

Nos últimos anos, a experiência do utilizador ganhou uma especial relevância e tornou-se num fator-chave diferenciador para a aquisição e fidelização dos clientes. Contudo, tarefas como o preenchimento de formulários complexos com uma grande quantidade de informação para o registo do utilizador são geradoras de desconfiança e ainda implementadas pelas empresas. Segundo um estudo realizado pela Forrester para a Experian, as empresas estão a mudar a abordagem e 70% vai priorizar o investimento em Customer Experience (CX) nos próximos 12 meses.

Neste sentido, os investigadores salientam que tanto as marcas como os consumidores acreditam que há espaço para melhorias nesta área, e um dos pontos a abordar para 42% dos inquiridos é o excesso de informação que normalmente é necessária para se registar online. 20% dos utilizadores admitiram ter abandonado diferentes formulários de registo devido à grande quantidade de detalhes pedidos, e 34% das empresas admitem que o tempo de inscrição é excessivamente longo, uma opinião partilhada por 26% dos consumidores entrevistados. 

Para Rita Estévez Luaña, CEO e Market President da Experian para Espanha e Portugal, "as empresas foram rápidas a reagir às mudanças causadas pela pandemia, focando-se nos serviços online". Mais, considera que um dos principais desafios para as empresas é a capacidade de equilibrar a rapidez e a eficácia no atendimento ao cliente, tendo em conta que muitas pessoas estão a entrar pela primeira vez no mundo digital, com a necessidade de prevenir potenciais fraudes. Assim, recomenda que as empresas melhorem a experiência do cliente, adotando fórmulas de automação para acelerar a tomada de decisões.

O relatório reflete, ainda, que a chave para otimizar processos que prejudicam a experiência do cliente está nas novas tecnologias – com 67% das empresas inquiridas a planear investir na digitalização dos seus principais serviços. Além disso, um dos pontos fundamentais é a verificação da identidade nos processos digitais de incorporação de clientes, prioridade para 65% das empresas – este tipo de tecnologia tem o apoio dos consumidores, e metade estão dispostos a utilizar a biometria para identificação digital, se isso acelerar o processo.

Da mesma forma, as empresas estão a trabalhar para otimizar os dados e 50% das marcas inquiridas consideram a utilização de IA ou machine learning nestes processos enquanto uma prioridade para os próximos 12 meses. Por outro lado, 60% das empresas reconhecem que precisam de melhorar os seus métodos de prevenção de fraudes e 51% acreditam que verificar a identidade do cliente nesta área demora demasiado tempo.

Adicionalmente, o estudo destaca que 62% das empresas da EMEA detetaram um aumento de aplicações de crédito de novos clientes, com 59% a assistir a um aumento de pedidos de clientes existentes. Apesar de, nesse aspeto, a confiança das empresas ainda estar abaixo dos níveis pré-pandemia(75%), 61% consideram que os seus meios de atrair clientes são eficazes ou muito eficazes. Finalmente, 64% dos consumidores inquiridos reconhecem que desistiram de um registo nos últimos 12 meses e 6% fizeram-no em mais de três ocasiões.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 39 Setembro 2022

IT INSIGHT Nº 39 Setembro 2022

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.