Contabilista do futuro vai “apoiar as decisões das empresas”

O segundo encontro do ciclo de conversas Contabilista de Sucesso decorreu com a participação de Carlos Latourrette, CEO da Bizdocs, Jorge Barbosa, vice-presidente da Ordem dos Contabilistas Certificados, e Jorge Santos, CEO da Vipex e Ex-Presidente do Nerlei

Contabilista do futuro vai “apoiar as decisões das empresas”

Numa parceria com a Bizdocs, a IT Insight promoveu ontem o segundo encontro do ciclo de conversas Contabilista de Sucesso - Histórias de Vida, Visões de Futuro. A iniciativa surge com o objetivo de identificar e debater sobre os atuais desafios com que os contabilistas certificados se deparam no âmbito da digitalização da economia e das atividades empresariais e de suporte à atividade do setor. 

O webinar arrancou com um momento de partilha de histórias, percursos profissionais e experiências, conduzido por Carlos Latourrette, CEO da Bizdocs. Os participantes Jorge Barbosa, vice-presidente da Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC), Jorge Santos, CEO da Vipex e Ex-Presidente do Nerlei, partilharam com a plateia virtual alguns dos passos das suas vidas profissionais e pessoais e perspetivas para o futuro de um contabilista de sucesso. 

 

 

A profissão já sofreu muitas alterações e passou a ser exercida de forma diferente ao longo da sua existência. Os contabilistas têm uma grande capacidade de adaptação às transformações”, nota Jorge Barbosa. Segundo o vice-presidente da OCC, o que, de momento, mais marca a profissão é a “transformação digital. Neste momento, a profissão dá largos passos na digitalização, que tem representado a maior mudança na forma como a profissão é desempenhada”, acrescenta.

A automatização dos processos levará a que os contabilista passem a ter uma maior dedicação no apoio à gestão das empresas”. Na visão de Jorge Barbosa, “a intervenção do contabilista de processar uma série de documentos são processos que não são a função do contabilista; não é pegar num dossier e passar para um sistema informático. A introdução de dados no sistema vai ser cada vez mais automatizada e feita sem dependência da intervenção do ser humano”, reitera.

O contabilista nota, ainda, algumas grandes evoluções na classe profissional. Atualmente, “através do decreto-lei 28/2019 é possível destruir os documentos e ficar com o documento num arquivo digital, que tem de cumprir determinadas regras. Outra grande evolução foi a criação do QR Code”, reflete, entre outras transformações. 

A imagem do passado do contabilista não é igual à de hoje. Hoje, o contabilista é uma profissão bastante reconhecida pela sociedade e pelo poder político. O contabilista do futuro será, sem dúvida alguma, um Parceiro muito importante próximo das empresas. Com toda esta digitalização, o contabilista que não vai perder tempo com tarefas que não trazem valor acrescentado e vai passar a perder tempo com a análise dos registos”, acredita Jorge Barbosa. 

Desta forma, o contabilista do futuro vai “apoiar as decisões das empresas”. Num mercado cada vez mais competitivo, “as empresas de sucesso serão as que estarão bem asseguradas por contabilistas e que têm a possibilidade de se ajustarem nos momentos certos”, conclui.

Carlos Latourrette comenta que “as oportunidades existem e nós estamos a ver que há um conjunto de instrumentos para as empresas usarem. Em alguns contextos, ainda não estão massificadas, mas há grandes passos a serem dados e o futuro é termos exemplos mais orientados à informação”.

Para Jorge Santos, os contabilistas são “condutores dos grandes empreendedores, de pessoas que se aventuraram a fazer negócio, mas que têm, alguns deles, algumas deficiências na parte de avaliar as empresas e ler os documentos”. Assim, os registos contabilísticos são “sérios indicadores para o próprio empresário sobre como está a correr no negócio”, permitindo irem detetando “a saúde da empresa”.

O CEO da Vipex nota que tem – ou deveria – haver o “mínimo de literacia para se ser empresário. Nós temos no nosso tecido empresarial um grande desequilíbrio financeiro e aqui os contabilistas serão uma ajuda, até na forma como a empresa se apresenta ao banco”. Jorge Santos nota a importância do papel dos contabilistas na passagem da informação às instituições bancarias. Neste aspeto, em vez de fornecer um relatório, os contabilistas poderão fornecer “informação mais trabalhada que pode beneficiar a própria gestão das empresas”.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 38 Julho 2022

IT INSIGHT Nº 38 Julho 2022

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.