Os erros a evitar em projetos de blockchain

A Gartner lançou o 2019 CIO Agenda Survey, relatório que conclui que os CIO devem estar cientes das capacidades e limitações da tecnologia blockchain

Os erros a evitar em projetos de blockchain

Foram tidos em conta os testemunhos de mais de três mil Chief Information Officers no 2019 CIO Agenda Survey da Gartner. O interesse em tecnologia blockchain é alto, mas a Gartner conclui que o desequilíbrio entre o 'hype' e a realidade do mercado ainda é considerável.

Apenas 11% dos CIOs admitem usar ativamente ou vir a usar blockchain, o que poderá acontecer devido à dificuldade em fazer os projetos singrar depois da fase experimental inicial.

Adrian Leow, Senior Research Director da Gartner, afirma que “as plataformas de blockchain e o mercado tecnológico ainda estão numa fase inicial. não há consenso, na indústria, relativo aos fatores chave como product concept, feature set e requisitos para core applications. Não esperamos que haja apenas uma plataforma dominante dentro de cinco anos”.

A Gartner identificou os sete principais erros na implementação da tecnologia e as soluções para eles:

  1. Não compreender ou usar de forma deficiente tecnologia blockchain – A maioria dos projetos são usados para gravar dados nas plataformas através de 'decentralized ledger technology' (DLT), ignorando fatores como ‘decentralised consensus’, ‘tokenisation’ ou ‘smart contracts’. O uso incompleto das potencialidades do blockchain pode fazer com que a sua adoção seja obsoleta.
  2. Assumir que a tecnologia está preparada para ‘production use’ – O trabalho aberto a larga escala precisa que a tecnologia blockchain amadureça e se faça acompanhar de requisitos complementares de gestão e segurança, por exemplo. O grau de especialização das ofertas de blockchain e a sua fase inicial ainda não permite que a tecnologia possa ser usada em ‘production use’.
  3. Confundir protocolo com uma solução de negócio – O blockchain é facilmente visto como um protocolo para a execução de uma certa tarefa dentro de uma aplicação completa, mas na realidade é a tecnologia ‘fundadora’ que serve uma grande quantidade de indústrias e que deve ser entendida como solução de negócio.
  4. Ver o blockchain apenas como uma base de dados ou mecanismo de armazenamento – As capacidades de gestão de bases de dados são fundamentais para o sucesso da implementação da tecnologia, não basta entendê-la como um ‘repositório’ de dados.
  5. Assumir que existem requisitos de interoperabilidade – É difícil desenhar standards de interoperabilidade quando os protocolos ainda estão a ser estudados ou desenvolvidos. As organizações deverão olhar para a interoperabilidade oferecida pelos fabricantes como uma estratégia de marketing, e não esperar que uma tecnologia seja compatível com as futuras.
  6. Assumir que ‘smart contracts’ são um problema resolvido – Os smart contracts são uma das bengalas da tecnologia blockchain. No entanto, há desafios na escalabilidade e gestão que ainda não foram endereçados e, além disso, a tecnologia ainda deve mutar-se. O conselho é que os CIOs não planeiem já a adoção completa da tecnologia, mas antes que façam pequenas experiências.
  7. Ignorar problemáticas de ‘governance’ – O 'governance' em blockchains públicas como a Etherneut ou Bitcoin é sobretudo focado nos aspetos técnicos, raramento endereçando motivações e comportamentos humanos. Os CIOs devem ter em conta estes aspetos de 'governance' na adoção de projetos para as suas organizações.
Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 24 Março 2020

IT INSIGHT Nº 24 Março 2020

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.