Meta contesta taxa de supervisão para regras de conteúdo online da UE

A Meta Platforms contestou uma taxa de supervisão destinada a cobrir os custos de monitorização dos reguladores da UE sobre o cumprimento das novas regras de conteúdo online

Meta contesta taxa de supervisão para regras de conteúdo online da UE

A Meta Platforms contestou uma taxa de supervisão no valor de 0,05% do seu rendimento líquido anual mundial, que serviria para cobrir os custos dos reguladores europeus relativos à monitorização do cumprimento das novas regras da União Europeia (UE) que exigem um controlo reforçado do seu conteúdo online.

Segundo a Comissão Europeia, a taxa da Lei de Serviços Digitais (DSA) aplica-se 20 plataformas online de grande dimensão, incluindo a Meta, Google, Apple e TikTok, e dois grandes motores de busca online.

O valor da taxa anual varia consoante o número médio de utilizadores ativos mensais de cada empresa, assim como se esta regista lucro ou prejuízo no exercício anterior.

A Meta disse discordar da metodologia utilizada no cálculo da taxa e contestou a mesma no Tribunal Geral com sede em Luxemburgo, o segundo mais alto da Europa. 

“Atualmente, as empresas que registam prejuízo não têm de pagar, mesmo que tenham uma grande base de utilizadores ou que representem uma carga regulatória maior, o que significa que algumas empresas não pagam nada, deixando outras a pagar um montante desproporcional do total”, afirma o porta-voz da empresa.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 48 Março 2024

IT INSIGHT Nº 48 Março 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.