As tendências dos recursos humanos em 2020

Com um novo ano, muitas organizações fazem a revisão dos seus processos com o objetivo de obter uma maior eficiência e os departamentos de Recursos Humanos não são uma exceção

As tendências dos recursos humanos em 2020

Para ajudar os profissionais da área de recursos humanos a conhecer as principais novidades que marcaram a forma de gerir o talento nas organizações durante os próximos meses, a Meta4 selecionou oito tendências que irão ter um maior impacto no setor dos recursos humanos em 2020 e que, segundo as investigações e alguns especialistas da área, farão parte das nossas vidas num futuro próximo.

  • Experiência do colaborador: o papel dos colaboradores reforça-se como protagonista dentro das organizações. Neste contexto, a Meta4 incentiva todas as organizações que queiram dar o salto e melhorar a sua produtividade a ter em conta o feedback de todos os seus profissionais, ouvindo-os e, posteriormente, assegurando-se de que os mesmos percebam as ações que são levadas a cabo como resultado das suas contribuições.
  • Ética e controlo da informação: nos últimos três anos, 75% das organizações aumentou o investimento em análise de dados (Talent Analytics), triplicando o tamanho das equipas nesta função. Esta tendência, somada ao avanço das Inteligências Artificiais e das Redes Sociais, proporcionou que cada vez mais, seja necessário estabelecer standarts éticos que salvaguardem a informação gerada pelas empresas. Neste sentido, o departamento de Recursos Humanos tende a ter no futuro um papel fundamental na definição da posição ética que as organizações devem tomar como resposta a estas questões.
  • Novos conhecimentos para um novo perfil profissional: segundo Heather McGowan, orador e expert em capital humano, num futuro próximo, teremos 16 trabalhos distintos em cinco indústrias deferentes. Diante esta situação, a Meta4 focou-se na crescente necessidade de estabelecer novos ambientes de trabalho que incentivem a aprendizagem contínua, proporcionem transparência nas oportunidades e nos movimentos dos trabalhadores e permitam também que os funcionários mudem de funções ou unidade de negócio, enquanto aprendem uma tarefa diferente daquela que tinham no passado.
  • Novas estratégias de aprendizagem: embora a digitalização dos ambientes de trabalho tenha conseguido eliminar tarefas repetitivas de muitos postos de trabalho, tem sido também ignorado que cerca de metade das oportunidades tradicionais de aprender estão a desaparecer com a introdução das novas Tecnologias. Os departamentos de RH procuram hoje desenvolver novas estratégias de aprendizagem que permitam aos funcionários desenvolver as habilidades necessárias para a progressão de carreira.
  • Transparência no local de trabalho: atualmente, mais de 70% dos colaboradores dizem que a transparência é uma qualidade que valorizam muito nas suas chefias. De facto, as empresas que lideram nesta área estão a oferecer uma transparência radical, disponibilizando todos os dados salariais e relacionados com o desempenho de cada um. Por conseguinte, o Departamento de Recursos Humanos deve sair da sua zona de conforto e perguntar-se como é que pode acompanhar a necessidade de transparência que os seus colaboradores têm.
  • Gestão de Talento: apesar do aumento das despesas organizacionais em termos de desenvolvimento de pessoal administrativo, a eficácia dos mesmos permanece inalterada. Segundo a Gartner, quase 70% das tarefas administrativas atuais serão automatizadas dentro de cinco anos. Isto significa que, a partir de agora, as empresas que pretendem aumentar a sua eficácia devem pensar mais profundamente na redefinição do papel do gestor. Quanto mais cedo for estabelecido o papel que devem desempenhar neste novo ambiente, mais cedo as organizações poderão realizar os processos de recrutamento e desenvolvimento destes novos talentos.
  • Ambientes de trabalho colaborativos: dentro de uma organização, o sucesso duradouro vem de equipas eficazes e não apenas de indivíduos eficazes. De acordo com um estudo da Google realizado com 180 equipas, a criação de segurança psicológica e colaboração foram posicionadas como os indicadores mais elevados para alcançar um alto desempenho dentro de uma organização. Cada vez mais, os colaboradores procuram ambientes de trabalho onde a culpa é suportada, a ignorância é permitida, e onde quem questiona aprende.
  • Liderança de Recursos Humanos: os líderes e as equipas de RH têm um papel fundamental a desempenhar neste novo ambiente digital marcado pelo aumento das novas tecnologias e pelas tendências sociais e demográficas que estamos a viver.

"Para que os colaboradores prosperem e façam o seu melhor dentro de uma organização, os Recursos Humanos terão de prestar atenção aos colaboradores, fomentar a colaboração uns com os outros, e ter um pensamento estratégico claro, bem como aproveitar as oportunidades que as novas tecnologias oferecem para superar todos os desafios que enfrentam no seu dia-a-dia", conclui Betsy Kolkea, consultora de RH da Meta4.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 24 Março 2020

IT INSIGHT Nº 24 Março 2020

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.