Utilização de IA aumenta consumo de energia global

A procura por eletricidade aumentou 14% na taxa de crescimento anual composta entre 2012 e 2023

Utilização de IA aumenta consumo de energia global

A Inteligência Artificial (IA) está a causar um aumento de procura de energia. Os data centers que oferecem as capacidades computacionais e de armazenamento necessárias para desenvolver e implementar os modelos de IA irão consumir muito mais energia à medida que essas aplicações forem utilizadas mais amplamente, de acordo com uma análise da Schroders.

Os data centers já utilizavam cada vez mais energia antes do aumento das capacidades de IA generativa. Desde 2012 a 2023, a procura de energia em data centers aumentou numa taxa de crescimentos anual composta (CAGR) de 14%, ultrapassando os habituais 2,5% da procura total de energia no período homólogo. Parte deste crescimento deve-se ao aumento da produção e análise de dados e também pela mudança de computação em cloud, uma vez que as empresas começaram a transferir o armazenamento de dados e o poder de computação das suas próprias instalações para os data centers.

Quando os modelos de IA estão a ser treinados, ou seja, a aprender as previsões e como tomar decisões com base nos dados fornecidos, usam seis vezes mais energia que as operações comuns de computadores que não utilizam inteligência artificial. Quando os modelos treinados começam a analisar dados novos, consomem duas a três vezes mais que os computadores tradicionais.

As grandes empresas tecnológicas estão a gastar milhões de euros para poderem aumentar a sua capacidade de treinar e desenvolver os modelos de IA. Entre estas empresas encontramos a Google, a Microsoft, a Amazon, a Meta, a Apple e a Alibaba.

A empresa SemiAnalysis estimou que a capacidade crítica de IT, isto é, a energia total disponível para os servidores, dispositivos de armazenamento e equipamentos de rede funcionarem, nos data centers poderá aumentar a nível mundial de 49 mil megawatts em 2023 para 96 mil megawatts em 2026.

Este aumento traduz-se numa CAGR de 25% ao longo dos próximos três anos. O volume de trabalho com inteligência artificial será de 85%. O aumento da capacidade globalmente irá resultar em ganhos na eficiência energética e na expansão dos centros já existentes, tal como na construção de novos data centers.

As fontes de energia renováveis, como a eólica e a solar, vão desempenhar um papel fundamental na satisfação da crescente procura por potência de computação. Isso é especialmente relevante à medida que os países procuram atingir os objetivos do Acordo de Paris para reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Além disso, os hyperscalers ocidentais também estabeleceram metas ambiciosas de descarbonização.

Os data centers acabam por consumir imensa energia e funcionam 24 horas por dia, todos os dias da semana. A energia eólica e solar são tipos de energia intermitentes pois estão dependentes das condições atmosféricas do dia, tornando evidente que os data centers atuais não podem utilizar apenas energias renováveis para serem alimentados, mesmo quando essa bateria é armazenada.

Não é de estranhar que a IA seja uma ferramenta que posso ajudar a encontrar as soluções para os desafios associados ao aumento do consumo de energia por parte dos data centers. No entanto, com a tecnologia numa fase inicial de desenvolvimento, ainda é cedo para prever quando isto poderá ser uma realidade.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.