Gastos europeus com realidade aumentada e virtual irão aumentar em 2024

A transformação dos locais de trabalho é uma das principais razões para o aumento dos gastos neste setor

Gastos europeus com realidade aumentada e virtual irão aumentar em 2024

De acordo com um relatório publicado pela IDC, o gasto europeu em realidade aumentada/virtual irá chegar aos 4,8 mil milhões de dólares em 2024. Os custos com estas tecnologias irão registar uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 21.9% nos próximos cinco anos, chegando aos dez mil milhões de dólares em 2028. Este crescimento deve-se ao aumento das despesas relacionado com realidade virtual após o lançamento de novos dispositivos no mercado europeu.

As organizações europeias reconhecem a importância que as tecnologias de realidade aumentada/virtual têm na sua transformação digital. O avanço técnico tem vindo a aumentar, mas o agravamento da falta de competências cria obstáculos na transformação”, afirma Barbora Pavlikova, research analyst para a IDC Data and Analytics da Europa. “Devido ao envelhecimento da população, a uma baixa oferta de talentos e à ausência de novas capacidades necessárias aos colaboradores, a realidade aumentada/virtual fornece uma grande oportunidade para as empresas combaterem as falhas nas capacidades dos funcionários ao aumentarem as formações e requalificações através de treino imersivo”, acrescenta.

O fabrico discreto irá ser o setor da indústria com maiores custos no mercado da realidade aumentada. A realidade aumentada ajuda a otimizar os processos e promove a eficiência em termos de tempo e de gatos, possibilitando a visualização e a simplificação de conceitos difíceis em tempo real e proporcionando conhecimentos valiosos para as operações.

O setor da saúde verá um maior crescimento a médio-prazo nos gastos relacionados com realidade aumentada, com uma taxa de crescimento anual composta de 22,7% nos próximos cinco anos. As organizações do setor da saúde europeias continuam a dar prioridade a investimentos na inovação, o que inclui locais de trabalho interconectados e a expansão dos cuidados de saúde virtuais.

Em termos da realidade virtual, o retalho continuará a ser o maior setor em termos de gastos, contando com 17,8% no total de despesas B2B em realidade virtual. O retalho online permitiu uma revolução na experiência de compra os clientes, o que acelerou os investimentos em realidade virtual. No entanto, a área da banca irá registar o crescimento mais rápido nos gastos com realidade virtual num período previsto de cinco anos.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 49 Maio 2024

IT INSIGHT Nº 49 Maio 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.