Estudo indica que controladores industriais de infraestruturas críticas têm vulnerabilidades graves não corrigidas

Relatório Cyber Signals da Microsoft analisa 43 mil milhões de sinais diários e indica que mais de um milhão dos dispositivos IoT executam softwares desatualizados e sem suporte

Estudo indica que controladores industriais de infraestruturas críticas têm vulnerabilidades graves não corrigidas

A Microsoft atualizou o Cyber Signals, a terceira edição do seu relatório de cibersegurança, onde, através dos insights de mais de 8.500 especialistas da Microsoft, e uma análise a 43 mil milhões de sinais de segurança, faz uma análise dos riscos que a convergência de sistemas de TI, Internet of Things (IoT) e tecnologia operacional (OT) representam para as infraestruturas críticas.

De acordo com o relatório, no ano passado, a Microsoft identificou ameaças em dispositivos de praticamente todas as áreas monitorizadas e visíveis de uma organização, incluindo equipamentos de TI tradicionais, controladores OT e dispositivos IoT, como routers e câmaras de vigilância. Os ataques nestes ambientes e redes têm sido, essencialmente, potenciados pela convergência de sistemas que muitas organizações adotaram nos últimos anos.

A IDC estima que haverá 41,6 mil milhões de dispositivos IoT conectados até 2025. Apesar da segurança dos equipamentos de TI ter sido reforçada nos últimos anos, os dispositivos IoT e OT não têm acompanhado o ritmo, permitindo aos atores das ameaças explorar estes dispositivos. O Cyber Signals registou que, em 2022, a China foi responsável pelo maior número de ameaças de malware em dispositivos IoT, cerca de 38% do total, seguida pelos Estados Unidos (19%) e Índia (10%). 

À medida que os sistemas OT subjacentes à energia, transportes e outras infraestruturas se tornam cada vez mais conectados aos sistemas de TI, o risco de ataques aumenta. A Microsoft identificou vulnerabilidades de elevada gravidade e não corrigidas em 75% dos controladores industriais mais comuns nas redes OT dos clientes, ilustrando o quão desafiante é para organizações, até mesmo para as que têm recursos, corrigir sistemas de controlo em ambientes exigentes e sensíveis ao tempo de inatividade. Além disso, as vulnerabilidades de elevada gravidade em equipamentos de controlo industrial de fabricantes reconhecidos cresceram 78% nos últimos dois anos.

A crescente implementação de dispositivos IoT em todos os ambientes empresariais e de consumo impulsiona o risco de ataques ao introduzir mais dispositivos não administrados nas organizações, sendo que mais de um milhão destes dispositivos estão a executar o Boa, um software desatualizado e sem suporte.

As empresas e operadores de infraestruturas em todas as indústrias estão a ter mais visibilidade sobre os sistemas conectados e a ponderar os riscos em evolução. Ao contrário do panorama dos sistemas operacionais comuns, aplicações e plataformas empresariais, os cenários das OT e IoT são mais fragmentados, apresentando protocolos, dispositivos que podem não ter normas de cibersegurança e outras realidades que afetam, por exemplo, a correção e gestão de vulnerabilidades.

À medida que os dispositivos OT e IoT oferecem um valor significativo às organizações que procuram modernizar os espaços de trabalho, para se tornarem data-driven e facilitar as necessidades das equipas através da gestão remota e automatização em redes de infraestruturas críticas, o risco de acesso não autorizado a bens e redes operacionais aumenta se não estiverem devidamente seguros.

Manuel Dias, NTO da Microsoft Portugal, destaca que “para abordar as ameaças a infraestruturas críticas de IT e OT, as organizações devem ter total visibilidade e controlo sobre os diversos tipos de dispositivos de TI, OT e IoT, que informação produzem e consomem, como são operados e como convergem todos os dados associados. Sem isso, colocam em risco tanto a divulgação de informação massiva, como o potencial controlo de sistemas ciberfísicos”.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 41 Janeiro 2023

IT INSIGHT Nº 41 Janeiro 2023

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.