DSPA Insights 2019: dos dados às pessoas

A segunda edição da DSPA insights destacou-se, mais uma vez, pela sua abordagem multidisciplinar à data science, desde o puro IT até às implicações sociais e éticas associadas à sua adoção

DSPA Insights 2019: dos dados às pessoas

Dois dias, 47 oradores e quase 500 participantes: a DSPA Insights 2019, à semelhança da edição anterior, destacou-se pela abordagem transversal à data science, desde as necessidades técnicas do foro do IT, passando pela recolha e processamento de dados, apresentação de soluções, projetos e use cases, até ao debate de questões éticas e sociais associadas à adoção generalizada de tecnologias como a inteligência artificial. Foi, acima de tudo, um encontro focado na resolução de problemas – sejam estes problemas a margem de ineficiência de uma fábrica ou um serviço de saúde disfuncional. 

Não faltaram exemplos da utilização dos dados à disposição das organizações públicas e privadas para melhorarem, não só a sua eficiência, como também os paradigmas sobre os quais operam: associar padrões de criminalidade e saúde mental, ajudar pessoas a sair do desemprego, facilitar o processo de triagem nos hospitais – ou, simplesmente, para adotar modelos de negócio mais competitivos.

No segundo dia, estes temas concretizaram-se em dois painéis que, apesar de divergirem radicalmente em termos do setor abordado, não deixam de convergir no tema da data science ao serviço das pessoas. O painel “The Future of Cities and Data Science”, dedicado à utilização da data science para melhorar o serviço ao cidadão, o funcionamento dos serviços públicos e a qualidade de vida nas cidades, e o painel “Data – The New Gold (That’s Not in The Balance Sheet or Bank Vaults)”, o qual, tendo como tema o setor financeiro e da banca, acaba por ter como foco os serviços e valor trazido ao cliente.

Sendo verdade que Portugal ainda está longe de poder ser considerado líder na área de data science, também se vê muito trabalho por parte da indústria e academia nesse sentido, e esta conferência foi prova disso.

Quanto aos primeiros 18 meses da DSPA enquanto entidade mediadora no setor, Fernando Matos, Diretor da DSPA, mostra-se satisfeito.“Fomos muito ambiciosos, e enquanto sinceramente gostaria de ter feito ainda mais, penso que foi um começo positivo”, referiu em entrevista com a IT Insight, acrescentando contudo que, apesar da forte adesão da indústria e academia, ainda existe muita “falta de investimento” na data science por parte das empresas.

 

A IT Insight é Media Partner da DSPA Insights 2019. Leia a reportagem completa na edição de outubro.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 21 outubro 2019

IT INSIGHT Nº 21 outubro 2019

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.