IBM e Maersk querem revolucionar o comércio mundial através do blockchain

A empresa dinamarquesa A.P. Moller Maersk e a IBM anunciam uma joint venture que disponibilizará soluções e métodos mais eficientes e seguros para o comércio mundial

IBM e Maersk querem revolucionar o comércio mundial através do blockchain

O objetivo desta nova joint venture passa por desenvolver uma plataforma de digitalização do comércio mundial, construída em conjunto a partir de padrões abertos e desenhada para todo o ecossistema do transporte marítimo, proporcionando mais transparência e simplicidade aos processos de expedição e acompanhamento de mercadorias entre diferentes fronteiras e zonas comerciais.

De facto, as transações comerciais globais continuam a crescer em custo, escala e complexidade. Todos os anos, são transportados mais de 4 biliões de dólares em produtos, e mais de 80% dos bens consumidos diariamente são transportados por via marítima. E estima-se que só o processamento e a gestão da documentação comercial necessária para gerir muitas dessas mercadorias representem 1/5 dos custos reais do transporte físico.

De acordo com o Fórum Económico Mundial, ao reduzir algumas barreiras nas cadeias de abastecimento internacional, o comércio mundial poderia aumentar em quase 15%, impulsionando as economias locais e gerando emprego.

Incorporar tecnologia Blockchain nesses processos simplificará as transações entre grandes redes e ecossistemas de parceiros. O Blockchain estabelece um registo partilhado e imutável de todas as transações que ocorrem dentro de uma rede e, em seguida, permite que as várias partes tenham acesso a dados confiáveis em tempo real. Ao aplicar esta tecnologia na digitalização dos processos globais de comércio, é possível introduzir uma nova forma de controlo e permissão no fluxo de informações, permitindo que os múltiplos parceiros comerciais colaborarem e estabeleçam uma visão única e partilhada sobre uma transação, sem comprometer detalhes, privacidade ou confidencialidade.

A Maersk, líder mundial em transporte de contentores, e a IBM, fornecedora líder em tecnologia Blockchain e em soluções de interoperabilidade e visibilidade de cadeias de abastecimento para empresas, utilizarão o Blockchain para alimentar a nova plataforma, assim como outras tecnologias de código aberto, com base na Cloud, designadamente soluções de Inteligência Artificial, Internet of Things e analítica avançada, disponibilizadas através da Divisão IBM Services, para ajudar as empresas a gerir, movimentar e acompanhar bens e produtos de forma digital através das fronteiras internacionais. Indústrias, companhias de transporte marítimo, transitários, operadores portuários e de terminais, autoridades aduaneiras e, em última instância, também os consumidores, beneficiarão com estas novas tecnologias.

A plataforma Blockchain da IBM permite que centenas de clientes e milhares de programadores criem e escalem redes em casos de uso complexos, incluindo pagamentos transfronteiriços, cadeias de abastecimento e identificação digital.

A IBM e a Maersk iniciaram esta colaboração em junho de 2016, por forma a desenvolver a tecnologia Blockchain baseada na Cloud. Desde então, várias empresas e autoridades testaram já a plataforma, incluindo a Tetra Pak, a DuPont, a Dow Chemical, o Porto de Houston, a Administração Aduaneira dos Países Baixos ou o Serviço de Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA.

Esta joint venture permitirá que a IBM e a Maersk comercializem e disponibilizem as suas soluções a um grupo mais amplo de organizações, sendo que muitas já manifestaram interesse e estão a estudar formas de tirar partido da utilização da nova plataforma. Entre elas estão, por exemplo, a General Motors e a Procter and Gamble, que procuram agilizar as complexas cadeias de valor que operam.

Outras autoridades aduaneiras e governamentais, incluindo a Alfândega de Singapura e do Peru, estão a avaliar a possibilidade de usar a plataforma para facilitar fluxos de comércio e otimizar a segurança da cadeia de abastecimento. Os operadores globais de terminais, a APM Terminals e a PSA International, vão usá-la para enriquecer a colaboração portuária e melhorar o planeamento dos terminais.

De forma a responder às necessidades específicas da indústria, a Maersk e a IBM irão ainda criar um conselho consultivo para ajudar a otimizar a plataforma e os serviços, com recomendações e comentários sobre questões importantes do setor e impulsionar os padrões abertos.

A Maersk e IBM nomearam Michael J. White, ex-Presidente da Maersk Line na América do Norte, como CEO da nova companhia que refere:

"Hoje, uma grande quantidade de recursos é desperdiçada devido a processos manuais ineficientes e sujeitos a erros. Os projetos piloto confirmaram as nossas expectativas de que, em todo o setor, há uma procura considerável para se obterem ganhos de eficiência e oportunidades provenientes da racionalização e padronização dos fluxos de informações usando soluções digitais. A nossa missão é aplicar esses conhecimentos de forma a estabelecer uma plataforma totalmente aberta, na qual todos os participantes da cadeia de abastecimento global possam entrar e extrair valor significativo. Queremos expandir ainda mais o nosso ecossistema de parceiros à medida que avançamos para uma solução global.”

Numa fase inicial, a nova empresa irá comercializar duas componentes principais, destinadas a digitalizar de forma integral as cadeias de abastecimento globais.

  • Fornecer uma visibilidade end-to-end sobre toda cadeia de abastecimento, permitindo que todas as partes envolvidas na sua gestão troquem informações em tempo real, de forma segura e sem interrupções, sobre os vários processos.
  • A digitalização e automatização de todos os documentos, permitindo que os utilizadores finais enviem, validem e aprovem documentação de forma segura, e a partir de todos os departamentos de uma mesma organização, o que ajudará a reduzir o tempo e o custo de expedição e transporte das cargas. Os smart contrats baseados em Blockchain garantem que todas as aprovações necessárias sejam compatíveis, o que ajudará a acelerar as aprovações e a reduzir os erros.

Após as autorizações regulamentares necessárias, prevê-se que as novas soluções da joint venture estejam disponíveis dentro de seis meses. A nova empresa terá sua sede na área metropolitana de Nova Iorque.

A plataforma é construída com base na tecnologia IBM Blockchain disponível através da IBM Cloud e potenciada pelo Hyperledger Fabric 1.0, uma estrutura de Blockchain e um dos projetos Hyperledger geridos pela Linux Foundation.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 13 Maio 2018

IT INSIGHT Nº 13 Maio 2018

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!