Gastos com infraestrutura em nuvem partilhada continuam a crescer

Os gastos com infraestrutura em nuvem continuaram a crescer no segundo trimestre de 2023, sendo liderados pelos gastos com infraestruturas em cloud compartilhada, de acordo com a IDC

Gastos com infraestrutura em nuvem partilhada continuam a crescer

Os dados recentes da International Data Corporation (IDC) revelam que, no segundo trimestre de 2023, os gastos em produtos de infraestrutura de computação e armazenamento para implementações em cloud, incluindo ambientes de Tecnologia de Informação (TI) dedicados e partilhados, registaram um aumento de 7,9% ano após ano, atingindo 24,6 mil milhões de dólares.

De acordo com o Worldwide Quarterly Enterprise Infrastructure Tracker: Buyer and Cloud Deployment, os gastos com infraestrutura de nuvem partilhada totalizaram 17,9 mil milhões de dólares no segundo trimestre, crescendo 13,7% em comparação com o ano anterior. Isto representa um aumento superior aos gastos não-cloud no primeiro semestre deste ano, representando 45,8% dos gastos totais em infraestrutura. 

Em particular, o segmento de infraestrutura de cloud dedicada sofreu um declínio de 4,9% ano após ano no segundo trimestre de 2023, para 6,7 mil milhões de dólares. Foram implementadas 43,9% do total da infraestrutura de cloud dedicada nas instalações dos clientes durante o período em questão.

Neste sentido, os gastos com infraestrutura cloud continuam a superar o segmento não-nuvem, com uma queda deste último na ordem dos 8,3% no segundo trimestre, para 14,4 mil milhões. Por sua vez, no segmento de infraestrutura em nuvem, registou-se um declínio de 23,2% na procura unitária com um aumento nos preços médios de venda (ASP). Segundo a IDC, isto está relacionado com vendas de servidores GPU para hyperscalers mais elevadas do que o normal.

“Os gastos com infraestrutura cloud estão a mudar para configurações robustas voltadas para cargas de trabalho mais complexas e novas iniciativas de Inteligência Artificial (IA)”, afirma Juan Pablo Seminara, research director do Worldwide Enterprise Infrastructure Tracker da IDC. “Apesar do declínio acentuado na procura de unidades de sistema no primeiro semestre do ano, as perspetivas de gastos para 2023 permanecem positivas, com o crescimento centrado na expectativa de que ASP mais elevados permanecerão durante o resto do ano”.

As previsões da IDC projetam, para 2023, um crescimento de 10,6% dos gastos com infraestrutura em cloud, em comparação com o ano passado, totalizando 101,4 mil milhões de dólares, o que representa uma ligeira melhoria em relação à anterior previsão da IDC, que estimava um aumento de 7,3%. Em especial, a infraestrutura cloud partilhada deverá crescer 13,5% ano após ano, atingindo 72 mil milhões no ano inteiro, enquanto os gastos em infraestrutura de nuvem dedicada aumentarão 4,1%, para 29,4 mil milhões.

A IDC espera ainda uma diminuição da infraestrutura não-cloud de 7,9%, para 58,5 mil milhões de dólares. Esta previsão de crescimento moderado espelha a expectativa de que o mercado irá deparar-se com tendências contrárias. Ainda assim, a IDC projeta que os gastos na nuvem continuarão positivos, especialmente devido a cargas de trabalho de missão crítica, tanto novas como existentes, que podem exigir sistemas de ponta assentes no desempenho.

No segundo trimestre de 2023, os fornecedores de serviços gastaram no total 24,1 mil milhões de dólares em infraestrutura de computação e armazenamento, tendo aumentado 7,1% em comparação com 2022, o que representa 61,9% do mercado total. A IDC prevê um crescimento destes gastos pelos fornecedores de serviços de 9% em 2023, com 99,1 mil milhões de dólares. Já os fornecedores de não-serviços – como empresas e governo – registaram uma diminuição dos seus gastos em 6,9% ano após ano, no segundo trimestre.

A nível geográfico, no trimestre em questão, os gastos anuais com infraestrutura cloud diminuíram no Canadá (36,4%) e Europa Central e Oriental (CEE – 15,2%), impactada pela guerra entre a Rússia e a Ucrânia, bem como na Europa Ocidental (3,5%), onde os gastos dos clientes têm sido influenciados pelos elevados preços de energia e por um ambiente macroeconómico restritivo.

As restantes regiões, no entanto, registaram um aumento nos gastos com infraestrutura em cloud, destacando-se os EUA (15,8%), Japão (14,1%), Oriente Médio e África (9,2%), América Latina (8,3%), bem como a região Ásia/Pacífico excluindo Japão e China (APeJC), que cresceu 2,8% ano após ano. A China, por sua vez, registou um crescimento de 0,1% ano após ano.

Segundo a IDC, em 2023, estes gastos deverão aumentar em todas as regiões, à exceção da CEE e Canadá, e prevê-se um crescimento mais rápido na América Latina (18,4%). As restantes regiões (APeJC, Canadá, China, Japão, América Latina, EUA e Europa Ocidental) deverão apresentar um crescimento anual entre 0 e 13%.

A longo prazo, durante o período de previsão 2022-2027, estima-se que os gastos com infraestrutura em cloud apresentem uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 11,3%, totalizando 156,7 mil milhões de dólares em 2027 e representando 69,4% dos gastos totais com infraestrutura de computação e armazenamento. 

No que diz respeito aos gastos com infraestrutura de nuvem compartilhada, as previsões da IDC indicam um crescimento CAGR de 11,6%, atingindo 109,7 mil milhões em 2027, o que representa 70% do valor total da nuvem. Já os gastos com infraestrutura de nuvem dedicada deverão crescer a um CAGR de 10,7% em 2027, com 47 mil milhões.

Espera-se um crescimento CAGR dos gastos em infraestrutura não-cloudde 1,7%, atingindo 69,1 mil milhões de dólares em 2027. Por fim, os gastos dos fornecedores de serviços em infraestrutura de computação e armazenamento crescerão, de acordo com as projeções da IDC, em 10,9% (CAGR), com 152,6 mil milhões em 2027.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 48 Março 2024

IT INSIGHT Nº 48 Março 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.