Empresas estão focadas na inteligência das contratações

Novo relatório indica que os recrutadores estão a abordar o recrutamento em função da contínua escassez de talento tecnológico

Empresas estão focadas na inteligência das contratações

Os recrutadores estão a mudar os esforços de recrutamento em resposta à contínua escassez de talento tecnológico e o setor de IT e Computação lidera o crescimento das vagas de emprego permanentes em dezembro de 2021. Os dados são do Report on Jobs, publicado pela KPMG e pela britânica Recruitment and Employment Confederation (REC) e compilado pela IHS Markit. 

Contudo, apesar de existirem mais funções a tempo inteiro em tecnologia do que nos outros nove sectores monitorizados pelo relatório, o crescimento das vagas começa a abrandar. O relatório conclui que o abrandamento pode sugerir que o crescimento da procura de talento tecnológico provocado pela pandemia está a começar a diminuir, pelo que as empresas estão a concentrar os seus esforços na "contratação mais inteligente, não mais rápida". 

Sobre os resultados, Lisa Heneghan, diretora digital da KPMG, disse que os empregadores estão decididos a dizer que a contratação por si só não é o antídoto. Mais, as empresas começaram a procurar resolver o seu défice de talento tecnológico internamente, afirma Lisa Heneghan – “veremos mais organizações a recorrerem a upskilling dos seus colaboradores existentes para cumprirem os seus requisitos digitais”.

"As empresas têm de se certificar de que estão a reagir aos desafios a longo prazo deste mercado, pensando mais na sua oferta ao pessoal e na forma de moldar a sua futura força de trabalho”, nota Neil Carberry, presidente executivo da REC. Se as vagas de emprego continuarem a diminuir, os trabalhadores poderão ter mais incentivos para ficarem colocados, explica o relatório. No entanto, a KPMG notou que, embora o crescimento dos postos de trabalho tecnológicos permanentes e temporários tenha diminuído, os dados "ainda apontavam para um aumento acentuado das vagas, à medida que as empresas continuavam a tentar expandir os seus trabalhadores".

Dois anos depois do início da pandemia, “as empresas têm espaço para planear as suas futuras estratégias tecnológicas, os dados sugerem que estão a contratar mais inteligente, não mais rapidamente – refletida na desaceleração da taxa de crescimento da procura permanente de pessoal”, reflete Lisa Heneghan.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 37 maio 2022

IT INSIGHT Nº 37 maio 2022

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.