Digital first: o futuro das plataformas de serviços

Digital first: o futuro das plataformas de serviços

Quando for possível olhar para trás e fazer um retrato dos maiores impactos da pandemia em curso, a transformação digital será, com elevado grau de certeza, uma tendência a constar no top três

O aumento da cobertura da internet, a proliferação dos dispositivos móveis de comunicação e a procura de soluções ágeis para necessidades que deixaram de poder ser supridas pelos negócios físicos ajudaram a acelerar um fenómeno que já se verificava antes do COVID-19, mas que a pandemia veio consolidar com enorme rapidez.

Empurradas, de forma súbita, para um futuro que se tornou próximo, as marcas que já tinham iniciado a transição de um foco no produto para uma orientação para o cliente, através de experiências mais completas e realizadoras, foram as que mais partido tiraram dos últimos meses e, simultaneamente, as que mais ideias nos têm fornecido sobre o futuro das plataformas de serviços. 

Se num estágio inicial as plataformas eram frequentemente "bilaterais", permitindo transações simples através da ligação entre compradores e vendedores, hoje em dia assistimos à criação de plataformas multifacetadas, que reúnem consumidores, prestadores de serviços e parceiros interessados em facilitar a troca de valor como parte de um ecossistema mais abrangente. Obter vantagem deu lugar a gerar adesão, o que por sua vez permite aproveitar recursos de agregação de dados (como os do cliente) para gerar oportunidades novas, num ciclo virtualmente contínuo.

Veja-se o exemplo de um produto específico, como um crédito bancário: em vez de vendê-lo diretamente ao cliente, as instituições financeiras vão integrar plataformas digitais mais amplas, que assegurem a experiência completa de compra de uma casa, de fio a pavio, com valor acrescentado no processo, uma diferenciação genuína para o cliente, que garante sustentabilidade duradoura ao banco.

A tecnologia e os comportamentos continuam a evoluir e a influenciar a forma como se fazem negócios. Isto vai significar encontrar novas formas de atender a um conjunto mais amplo de necessidades e requisitos. Mas, independentemente da direção estratégica que os serviços venham a tomar, participar como player de um ecossistema digital móvel será inevitável para os fornecedores de serviços de hoje.

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 31 Maio 2021

IT INSIGHT Nº 31 Maio 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.