Mais de metade das organizações industriais ainda não estão preparadas para a transformação digital

Um estudo da Schneider Electric e da Omdia analisou as principais dificuldades e desafios que estas empresas enfrentam. Investigação centrou-se na eficácia dos sistemas de controlo distribuído

Mais de metade das organizações industriais ainda não estão preparadas para a transformação digital

Um estudo da Schneider Electric e da Omdia revela que muitas organizações de processos industriais ainda não estão preparadas para a transformação digital.

O estudo, que pretendia perceber quais as dificuldades e os desafios específicos das empresas de processos industriais enfrentam e que se centrou na eficácia dos sistemas de controlo distribuído (DCS, em inglês), contou com a participação de compradores da Europa, América do Norte, Médio Oriente e região da Ásia-Pacífico, em seis indústrias específicas: água, químicos, petróleo e gás, refinação, papel e celulose e produção de energia.

94% das empresas acredita que a transformação digital terá um impacto nas suas operações nos próximos dois a três anos. Apesar dos desafios, 78% dos participantes deste estudo afirmaram que estavam a implementar ativamente iniciativas de transformação digital numa ou mais instalações, com mais de metade (55%) a admitir que ainda não está totalmente capacitada.

Dos inquiridos, 88% afirmou que o apoio do fornecedor ao nível dos DCS foi excelente. No entanto, apontam três pontos a melhorar, entre eles o melhor desempenho e funcionalidade dos sistemas; maiores capacidades de integração de sistemas e retorno do investimento comprovado.

O EcoStruxure Foxboro DCS, da Schneider Electric, apoia processos e instalações industriais, oferecendo assim melhorias no funcionamento e rentabilidade.

“Com o EcoStruxure Foxboro DCS, que oferece flexibilidade e escalabilidade incorporadas, as organizações podem tirar proveito de tecnologia preparada para o futuro, que protege os investimentos ao mesmo tempo que mede e controla cada etapa do processo de forma consistente com os objetivos comerciais gerais das empresas”, sublinhou Michael Martinez, Ecostruxure Foxboro DCS Leader da Schneider Electric.

A convergência entre Tecnologias de Informação e Tecnologias Operacionais, apesar de já estar a acontecer em muitas organizações, é ainda necessária para o sucesso da transformação digital. 

As áreas de TI, corporativa e produção/fabrico são as que detêm maior influência para definir os detalhes da transformação digital dos sistemas de controlo de empresas.

A automação aberta e as arquiteturas interoperáveis associadas aos DCS são essenciais na hora de implementar novas tecnologias. Para isso, soluções como o EcoStruxure Automation Expert, tornam-se eficientes em ambientes industriais abertos.

A melhoria da escalabilidade é indicada como outra das influências mais importantes para a implementação de tecnologias de sistemas de controlo digitais.

“Assegurar-se de que os vendedores têm as competências certas e estão a utilizar ecossistemas abertos e escaláveis é fundamental para que os clientes estejam mais preparados e permite a colaboração entre TO e TI”, afirmou Nathalie Marcotte, SVP and President, Process Automation da Schneider Electric.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 41 Janeiro 2023

IT INSIGHT Nº 41 Janeiro 2023

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.