SAS investe para facilitar acesso a IA e analítica de dados

No total, o SAS vai investir mil milhões de dólares para facilitar o acesso tanto a inteligência artificial como a analítica de dados

SAS investe para facilitar acesso a IA e analítica de dados

O SAS realizou pela primeira vez em Madrid o SAS Innovate Tour, um encontro que juntou mais de 300 participantes e permitiu que os executivos do SAS se reunissem internacionalmente com os diferentes gestores de empresas e instituições públicas da Europa, que são clientes da empresa norte-americana. O evento contou com quatro mesas de discussão onde representantes de setores como a banca, seguros, energia e até consultores discutiram temas como a IA, experiência do cliente, fraude e sustentabilidade.

Rui Gonçalves, Partner, Technology Consulting da KPMG Portugal, foi um dos oradores presentes que abordou a questão da neutralidade carbónica e a quantificação da pegada de carbono, dando a conhecer alguns casos de sucesso nacionais que demonstram que os comportamentos que temos estão a gerar mudanças, sendo prova disso haver 59% de consumidores que afirma deixar de consumir produtos e/ou comprar marcas que não procedam de acordo com os princípios da ESG (Environmental, Social and Governance), isto segundo um estudo feito no ano passado pela Consultora.

A propósito deste evento, o SAS aproveitou a oportunidade para anunciar um investimento de mil milhões de dólares nos próximos três anos para continuar a desenvolver soluções de inteligência artificial focadas em ir ao encontro das necessidades de determinadas indústrias. Desta forma, a empresa reforçará o seu compromisso em oferecer soluções personalizadas para os desafios do mercado, em setores como a banca, governo, seguros, saúde, retalho, manufatura ou energia, que serão executados no SAS Viya, a sua plataforma de analítica e IA, nativa da cloud.

O investimento, que inclui I&D, equipas de linha de negócios focadas na indústria e esforços de marketing, financiará o trabalho inovador de cientistas de dados, estatísticos e programadores de software do SAS, que vão trabalhar com consultores, engenheiros de sistemas e profissionais de marketing. Este investimento reforça a aposta do SAS na literacia de dados uma vez que, ao facilitar e democratizar a utilização da inteligência artificial, a sociedade acaba por beneficiar.

As organizações enfrentam desafios que vão desde a ameaça de uma desaceleração económica e tensões nas cadeias de abastecimento até à escassez de mão-de-obra e mudanças regulatórias”, diz Christian Gardiner, Country Manager do SAS Iberia. “Através deste investimento, o SAS vai continuar a apoiar as empresas que usam IA, machine learning e analítica avançada para combater fraudes, gerir riscos ou melhorar o relacionamento com os clientes e cidadãos, entre muitas outras coisas. Seguimos firmes no nosso compromisso contínuo com a inovação ao oferecer a melhor Inteligência Artificial do mercado”.

Com o objetivo de explorar as aplicações positivas da IA após o grande progresso que teve nos últimos anos, o SAS ampliou a sua Prática de Ética em Dados através da integração do seu programa Data for Good, considerando assim não apenas os riscos da IA, mas também o seu potencial para melhorar o mundo. 

Por outro lado, a empresa continua a melhorar a sua plataforma SAS Viya, que inclui funções como deteção de viés, explicabilidade, supervisão do modelo, governança ou prestação de contas, para demonstrar aos órgãos reguladores o esforço que está a ser feito para alcançar uma IA responsável. 

Como parte do seu compromisso, o SAS estabeleceu ainda uma parceria com outras organizações para explorar diferentes formas pelas quais a IA ética pode ser aplicada nos mais diversos setores, exemplo disto é a colaboração com o Erasmus University Medical Center e a Delft University of Technology, onde lançaram em conjunto o primeiro Laboratório de Inteligência Artificial Responsável e Ética em Cuidados de Saúde (REAHL), com o objetivo de enfrentar os problemas e desafios éticos relacionadas com o desenvolvimento e aplicação de tecnologias de IA na área da saúde.

Foi, por fim, anunciado que o SAS e a Microsoft, em conjunto com o Erasmus MC, assinaram um compromisso conjunto de desenvolver, implementar e monitorizar aplicações data-driven em todo o Duke Health, de forma a melhorar o atendimento ao paciente e otimizar a utilização dos blocos operatórios, unidades de cuidados intensivos e o número de leitos disponíveis.

Com a IA a avançar rapidamente, devemos continuar prudentes em manter os seres humanos no centro de tudo o que fazemos. Não se trata somente de proteger aqueles que são mais vulneráveis, mas de procurar oportunidades para o uso da IA de forma a melhorar a vida das pessoas”, afirma Guilherme Dias, Sales Director do SAS Portugal. “Não há dúvida que a regulamentação de uma tecnologia como a IA é um grande desafio e estamos precisamente a testemunhar isso. Isto porque os desafios são de um espectro muito amplo: éticos, sociológicos, políticos, empresariais e outros. É claro que a regulamentação tem de garantir o gozo e proteção dos direitos humanos, mas isso requer vontade política para encontrar padrões em valores e princípios no uso da IA”.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.