Líderes acreditam que IA vai superar equipas de segurança

Estudo indica que 91% dos líderes de segurança acreditam que a inteligência artificial deverá ultrapassar as equipas de segurança das organizações

Líderes acreditam que IA vai superar equipas de segurança

A Bugcrowd lançou o seu relatório “Inside the Mind of a CISO”, que entrevistou centenas de líderes de segurança em todo o mundo para descobrir sua perceção sobre ameaças de Inteligência Artificial (IA), as suas principais prioridades e funções em evolução, além de mitos comuns em relação aos CISO.

Entre as conclusões, um em cada três entrevistados (33%) acredita que pelo menos metade das empresas está disposta a sacrificar a privacidade ou segurança a longo prazo dos seus clientes para poupar dinheiro. Isto é explicado em parte pelo facto de 40% acreditarem que menos de um em cada três empresas compreendeu verdadeiramente o risco de serem corrompidas.

Falando em dinheiro, quase nove em cada dez (87%) relataram que estavam atualmente contratando pessoal de segurança e 56% afirmaram que sua equipa de segurança estava atualmente com falta de pessoal. E apesar de alguns equívocos comuns sobre a não necessidade de um diploma universitário, os entrevistados relataram que apenas 6% dos líderes de cibersegurança não possuem um diploma universitário e mais de 80% possuem um diploma específico em cibersegurança.

Apesar dos planos de contratação, 70% relataram que planeavam reduzir o número de colaboradores da equipa de segurança nos próximos cinco anos devido à adoção de tecnologias de IA. Mais de 90% acreditam que a IA já tem um desempenho melhor do que os profissionais de segurança, ou pelo menos terá num futuro próximo. A IA não é vista apenas como um benefício, no entanto, mais de metade (58%) acredita que os riscos da IA são piores do que os seus benefícios potenciais.

Devido às preocupações com o uso malicioso de IA por parte dos atacantes, 70% dos líderes de segurança optaram pelo uso de segurança de crowdsourcing para testar as suas defesas de IA. Na verdade, mais de sete em cada dez (73%) líderes de segurança veem o ethical hacking de forma favorável e 75% já tem experiência com ele. Com as ameaças modernas sendo mais evasivas e adaptativas do que nunca – 89% acreditam que há mais ameaças e são mais sérias – é imperativo que a segurança de crowdsourcing seja o centro da estratégia de cibersegurança de uma organização.

A função do CISO está a evoluir. Dado o atual cenário de risco e a necessidade de priorizar a segurança em detrimento da resiliência, o CISO tem mais responsabilidade do que nunca”, Nick McKenzie, CISO da Bugcrowd, em comunicado. “Preencher a lacuna entre os CISO e a engenharia coletiva dos cibercriminosos é fundamental para proteger as organizações do crescente ataque de ameaças e ataques de IA”.

À medida que o panorama da cibersegurança continua a evoluir, os profissionais e as organizações devem permanecer preparados para se adaptarem às últimas tendências e tecnologias emergentes, como a IA e a implementação de cibersegurança crowdsourced.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.