Huawei segue para a justiça norte-americana

A Huawei apresentou um requerimento para julgamento sumário questionando a constitucionalidade da nova Lei de Autorização da Defesa Nacional e requereu a suspensão das sanções norte-americanas

Huawei segue para a justiça norte-americana

Apelando aos EUA que ajustem a sua abordagem à cibersegurança, a Huawei vai contestar a constitucionalidade Secção 889 da Lei de Autorização da Defesa Nacional (NDAA) de 2019. Além disso, a empresa assegura que as sanções norte-americanas não vão garantir maior segurança no país, reiterando o pedido de suspensão.

Além de as sanções não serem uma estratégia eficaz de cibersegurança, na ótica da Huawei, Song Liupin, Chief Officer da tecnológica chinesa, diz que o processo “desvia a atenção dos desafios reais que enfrentamos”. "Os políticos nos EUA estão a utilizar a força de uma nação inteira para ir atrás de uma empresa privada", algo “quase nunca visto na História”, refere o representante, sublinhando que o governo de Trump “não apresentou evidências de que a Huawei é uma ameaça à segurança. Não há fumo, nem fogo. Apenas especulação”.

No requerimento, a Huawei argumenta que a Secção 889 da NDAA 2019 nomeia especificamente a empresa “e não só impede que as agências governamentais dos EUA comprem equipamentos e serviços da Huawei, como também as impede de contratar ou conceder empréstimos a terceiros que compram equipamentos ou serviços da Huawei – mesmo que não exista qualquer impacto ou ligação ao governo dos EUA”, refere a empresa em comunicado.

A inclusão na Entity List, ou lista negra, do Departamento de Comércio dos EUA, é para Song “um precedente perigoso” que se pode estender a outras organizações nativas e até aos consumidores.

Acreditando na “independência e integridade” do sistema judicial americano, Song espera “que os erros na NDAA possam ser corrigidos pelo tribunal”. Para atestar a força da contestação, Glen Nager, advogado principal da Huawei no caso, refere que a Secção 889 da NDAA de 2019 viola o Projeto de Lei, o Processo Legal e as Cláusulas de Aquisição da Constituição dos Estados Unidos.

No agendamento do tribunal, está marcada uma audiência sobre a moção para o dia 19 de setembro.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 20 Julho 2019

IT INSIGHT Nº 20 Julho 2019

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.