Google processada por partilha de dados

A Google e a Universidade de Chicago foram processadas por partilha de dados hospitalares

Google processada por partilha de dados

Em 2017, o Medical Center da Universidade de Chicago anunciou uma parceria com a Google que consistia na partilha de dados de pacientes com a tecnológica. O objetivo era desbloquear informações arquivadas e promover a análise preditiva no contexto médico.

Agora, Universidade de Chicago, Medical Center e Google são processados por alegadamente não se ter rasurado informação privada como selos com datas e notas dos médicos na partilha dos dados com a Google. A queixa foi formalizada em nome de um paciente daqueles serviços.

A Universidade de Chicago nega as acusações, e Lorna Wong, representante do Medical Center, refere que houve compliance “com as leis e regulamentos aplicáveis à privacidade dos pacientes”.

O ano passado a Google lançou o seu estudo “Scalable and Accurate Deep Learning for Electronic Health Records,” baseado na recolha de dados eletrónicos de pacientes desta unidade hospitalar entre 2009 e 2016. Os dados recolhidos incluíam demografia, diagnóstico, procedimento, medicação e outros elementos relativos a atendimento e terapêutica. O estudo da Google deixa claro que as datas dos serviços foram mantidas e notas médicas também, embora não identificadas.

O processo instaurado defende que a inclusão das datas configura uma violação da legislação americana HIPAA, devido à Google poder combinar esse elemento com, por exemplo, a geolocalização dos clientes Android, e assim saber as identidades dos pacientes que visitaram o centro médico naquela(s) data(s).

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 20 Julho 2019

IT INSIGHT Nº 20 Julho 2019

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.