Ataques DDoS contra recursos de educação aumenta 350%

Durante o primeiro semestre do ano, o número de ataques DDoS que afetaram recursos de educação online aumentaram 350% por mês em comparação ao mesmo período de 2019

Ataques DDoS contra recursos de educação aumenta 350%

Os ataques DDoS os recursos educativos cresceram exponencialmente na primavera deste ano, em comparação com o ano anterior. De janeiro a junho de 2020, o número de ataques DDoS que afetam recursos educativos online aumentou no mínimo 350% por mês, quando comparado com o mês homólogo em 2019.

Num ataque de negação de serviço (DoS), os hackers tentam sobrecarregar um servidor de rede com pedidos de serviços de modo a que o servidor falhe e negue o acesso aos utilizadores. Os ataques DoS envolvem apenas um computador. No entanto, o que tipicamente ocorre é um ataque distribuído de negação de serviço (DDoS). Estes envolvem uma "botnet" - uma série de computadores infetados que podem executar tarefas em simultâneo. Os ataques DDoS são particularmente problemáticos porque podem durar desde alguns dias a algumas semanas, causando perturbações nas operações das organizações e - no caso de recursos educativos - impedir aos estudantes e aos colaboradores o acesso a materiais críticos.

Durante o primeiro semestre deste ano, as redes tornaram-se o alvo preferido de ciberataques, uma vez que cada vez mais as pessoas passaram a estar online, devido à pandemia. De facto, a nível mundial, o número total de ataques DDoS aumentou 80% no primeiro trimestre de 2020, em comparação com o primeiro trimestre de 2019. Além disso, os ataques aos recursos educativos foram responsáveis por uma grande parte deste crescimento. Entre janeiro e junho de 2020, o número de ataques de DDoS que afetaram os recursos educativos aumentou pelo menos 350%, quando comparado com o mês correspondente em 2019.

Mas ataques DDoS não foram as únicas ciberameaças enfrentadas por professores e estudantes. De janeiro a junho de 2020, 168.550 utilizadores únicos da Kaspersky encontraram um crescente número de diferentes ameaças disfarçadas de populares plataformas de aprendizagem online/aplicações de videoconferência (Moodle, Zoom, edX, Coursera, Google Meet, Google Classroom, Blackboard). Os docentes também encontraram um número crescente de páginas de phishing e emails que exploravam estas mesmas plataformas, pondo-as assim em risco de descarregar várias ameaças.

"A aprendizagem à distância tornou-se uma necessidade para milhares de milhões de estudantes na primavera passada e muitas instituições educacionais foram forçadas a fazer a transição com pouca ou nenhuma preparação. O consequente aumento da popularidade dos recursos educativos online, associado a esta falta de preparação, tornou o setor educativo num alvo ideal para ciberataques. Tendo em conta que muitas escolas e universidades planeiam continuar a realizar aulas online, é fundamental que neste regresso às aulas estas organizações tomem medidas para proteger os ambientes de aprendizagem digital", comenta Alexander Gutnikov, especialista em segurança da Kaspersky.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 27 Outubro 2020

IT INSIGHT Nº 27 Outubro 2020

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.