Branded Content

Edge computing: ingrediente essencial para a transformação do setor F&B

O setor dos alimentos e bebidas (F&B) está a adotar a digitalização de processos para lidar com os seus principais pain points

Edge computing: ingrediente essencial para a transformação do setor F&B

Isto inclui melhorar a cadeia de abastecimento através da recolha de dados, da visibilidade e da rastreabilidade, através de dispositivos inteligentes que recolhem esses dados. Contudo, para recolher, gerir e analisar com sucesso diferentes tipos de dados IoT, os fabricantes F&B necessitam de soluções de Edge Computing.

O Edge Computing é um vetor da transformação digital, colocando o poder de computação, o armazenamento e a análise perto das fontes de dados e dos seus utilizadores. Reduz a latência, permite a gestão de grandes quantidades de dados em tempo real e habilita a digitalização, ajudando a impulsionar a eficiência em cada etapa da cadeia de abastecimento.

As vantagens da transformação digital

Estas melhorias no setor F&B estão a ser tardias, com grande parte das empresas seriamente atrasadas nos seus recursos de análise e capacidades de Business Intelligence. Quando a digitalização é implementada de forma eficaz, é possível obter benefícios significativos nestas 3 áreas:

1. Maximização do valor dos ativos

Os investimentos em tecnologia de dados ajudam a reduzir as despesas das organizações, prolongando o ciclo de vida dos seus ativos. Colocar sensores inteligentes oferece um fluxo contínuo de dados sobre a saúde e desempenho dos equipamentos, possibilitando uma manutenção preditiva.

2. Melhorias operacionais

À medida que o número de unidades de manutenção de stock que gerem aumenta, as empresas de F&B precisam de monitorizar milhões de pontos de dados. Muitos deles requerem processamento em tempo real, levando as empresas a precisar de tecnologias digitais para melhorar a eficiência, rentabilidade e produtividade.

3. Gestão da qualidade e conformidade

Os dados recolhidos nos processos da cadeia de abastecimento são fundamentais para monitorizar a qualidade dos produtos e a sua conformidade regulamentar. As empresas têm de ser transparentes quanto às fontes dos alimentos e isso requer níveis granulares de rastreabilidade.

As soluções de edge computing industrial possibilitam os processos digitais

Existem também desafios à digitalização do setor F&B, sendo o maior saber como executar o processamento e análise de dados em tempo real e manter a qualidade e a conformidade regulamentar. As organizações precisam da visibilidade e da capacidade de acompanhamento oferecidas pelo Edge Computing industrial.

É absolutamente fundamental monitorizar a cadeia de abastecimento do início ao fim. As tecnologias digitais como códigos de barras, sensores e leitores RFID são capazes de monitorizar todo o percurso dos produtos, permitindo ajustes rápidos quando necessário.

A digitalização também aumenta a produtividade, simplificando os processos e reduzindo custos através da manutenção preditiva. Os dados recolhidos pelo equipamento de produção podem ajudar os operadores a antecipar falhas; e a manutenção pode ser programada de forma a não provocar períodos de inatividade ou interromper a produção. Esta abordagem também elimina a dependência na manutenção calendarizada, que pode levar à execução de tarefas desnecessárias.

As empresas demorariam muito tempo a processar tantos dados provenientes da cadeia de abastecimento através da Cloud, quando é necessário tomar decisões em tempo real – é por isso que o Edge Computing brilha nestas situações.

Outro desafio que a digitalização coloca às empresas de F&B prende-se com o espaço. Nem sempre é fácil encontrar lugar para os equipamentos e a infraestrutura de TI, mas as soluções de Edge Computing podem resolver este problema. Elas são inerentemente flexíveis, e por isso fáceis implementar no espaço disponível. Dependendo da configuração, podem coexistir com as máquinas da fábrica ou ficar numa sala à parte, perto da zona de produção.

À medida que os locais de Edge Computing aumentam, exigem a mesma disponibilidade, resiliência e redundância que os Data Centers tradicionais, uma vez que lidam com dados críticos. Para serem eficazes, as soluções Edge devem ser padronizadas, repetíveis e fáceis de implementar e configurar. Devem também estar habilitadas para a gestão remota, de forma a monitorizarem o desempenho, a segurança e a disponibilidade.

 

Conteúdo co-produzido pela MediaNext e pela Schneider Electric

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 34 Novembro 2021

IT INSIGHT Nº 34 Novembro 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.