Empresas bem-sucedidas perseguem novas oportunidades sem negligenciar core business, diz estudo

Estudo da Accenture avaliou a capacidade das empresas se voltarem para novas oportunidades e os benefícios que daí advêm, identificando os fatores que contribuem para uma inovação bem-sucedida.

Empresas bem-sucedidas perseguem novas oportunidades sem negligenciar core business, diz estudo

De acordo com o estudo da Accenture “Make Your Wise Pivot to the New”, a maioria (54%) dos C-level executives esperam que, pelo menos, metade das receitas da sua empresa advenha de novas atividades de negócio nos próximos três anos. No entanto, apenas 33% dos inquiridos afirmam que mais de metade das receitas atuais da sua empresa resultam de negócios iniciados nos últimos três anos.
 
O relatório da Accenture, baseado num inquérito feito a 1.440 executivos C-Level de 11 setores em 12 países, revelam que apenas 6% das empresas conseguiram atingir o que a Accenture denomina de "rotação inteligente para novas oportunidades".

As Rotation Masters seguem três medidas, segundo o estudo. Em primeiro lugar, constroem uma maior capacidade de investimento através da revitalização do seu core business: 76% das Rotation Masters afirmam ter capacidade de investimento suficiente para transformar o seu legacy business - nas outras empresas a média é de 49%. Além disso, 70% das Rotation Masters têm capacidade de investimento suficiente para escalar novos negócios, face a apenas 46% das outras empresas.

Por outro lado,  76% das Rotation Masters combinam os recursos que potenciam a inovação sob uma determinada função, além de concentrarem as decisões de investimento sob a mesma liderança, o que as torna mais capazes para identificar e comercializar ideias com elevado potencial. Além do mais, 79% das Rotation Masters afirmam que é fundamental colaborar com uma vasta rede de parceiros e clientes para apoiar as suas estratégias de inovação, em comparação com 66% das outras empresas.

Por último, as Rotation Masters criam sinergias entre o seu core business e as novas abordagens ao negócio, avaliando o impacto potencial das novas atividades. Mais de metade (60%) percebem o potencial que as novas atividades de negócio têm na remodelação da cultura do seu core business. Metade das Rotation Masters reconhecem também o potencial do cross-selling entre o core business e as novas atividades de negócio, face a 29% das outras empresas.
 
O relatório da Accenture deixa algumas recomendações às Rotation Drivers (empresas cujas receitas são entre 51% a 75% provenientes de atividades de negócio começadas nos últimos três anos). Assim, segundo a Accenture, importa que as empresas não se concentrem apenas em otimizar custos, mas no crescimento do negócio - a implementação de analytics para melhor perceber os seus atuais clientes e alavancar o marketing digital e personalização são uma opção.

A aquisição de talento e o investimento em ativos diferenciados também é apontada como fundamental para o investimento em novos negócios. A Accenture recomenda também uma transformação cultural ao nível do core business, através da aplicação de novas competências, como, por exemplo, o recrutamento de data scientists.
 
Às Rotation Starters (empresas com receitas entre 1% a 25% resultantes de atividades de negócio iniciadas nos últimos três anos), as recomendações vão no sentido de reestruturar  profundamente as operações atuais, incluindo o desinvestimento em atividades e ativos de baixo desempenho, de forma a criar capacidade de investimento. Estas empresas devem também estabelecer competências de inovação estruturais, como laboratórios de inovação, para começar a incubar novas ideias. Por outro lado, criar e expandir parcerias colaborativas para otimizar o teste de novas ideias comerciais e entrar antecipadamente em novos mercados é recomendado.

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 16 Novembro 2018

IT INSIGHT Nº 16 Novembro 2018

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.