Branded Content

Usar dados para construir uma memória musculada e obter dessa forma uma agilidade empresarial de sucesso

Nos últimos meses, a importância da agilidade tem sido um tema incontornável nos comentários relacionados com os negócios. Embora isso seja compreensível, atendendo às grandes mudanças necessárias num espaço de tempo muito reduzido no início da pandemia, pode assumir-se que é apenas durante períodos de grande fluxo que as empresas se devem concentrar na mesma

Usar dados para construir uma memória musculada e obter dessa forma uma agilidade empresarial de sucesso

A agilidade sempre foi fundamental para o sucesso empresarial. Nenhuma empresa está imune a tornar-se redundante. A agilidade é de extrema importância para singrar face às alterações no mercado, à inovação tecnológica ou às mudanças nas práticas de trabalho. A maioria das empresas mais bem sucedidas do mundo caracterizam-se pela sua agilidade: O início tímido da Netflix a enviar DVDs físicos é hoje em dia recordado por poucos dos seus clientes, atendendo ao seu momento de alavancagem de sucesso e redefinição para streaming face à mudança do consumo do consumidor (ao contrário dos concorrentes, como a Blockbuster).  

Quer estejamos a responder a mudanças rápidas em ambientes de trabalho ou a prever tendências a longo prazo dos clientes, a agilidade sustenta criticamente a capacidade de uma empresa mudar e adaptar-se para proteger e melhorar o seu desempenho e produtividade.

 No entanto, a adoção de uma abordagem ágil não se faz sem correr riscos. E estes são sentidos mais intensamente durante alturas altamente voláteis, como o atual, sem precedentes, em que estamos a operar. Isto coloca um ponto mais incisivo na forma como as decisões estão a ser tomadas, uma vez que 71% dos líderes empresariais continuam frequentemente a remeter a gestão para o seu instinto de decisão o que coloca em risco a mudança de rumo e leva a sua empresa a enveredar por um caminho completamente errado.

De forma a tomar decisões ágeis que melhorem a produtividade e o desempenho com confiança, é fundamental compreender realmente a situação na qual se está a operar. Isto só pode ser alcançado através do acesso e da análise de dados precisos, corretos, fiáveis e oportunos.

Dados fracos tomam fracas decisões

A nova investigação da Qlik em parceria com a IDC expôs as questões significativas e generalizadas que as organizações globais enfrentam ao criarem uma forte rede de dados que identifica e prepara dados em bruto para análise. Mais de metade (57%) das empresas acreditam ter encontrado e recolhido a maioria (70%+) dos valiosos conjuntos de dados de toda a sua organização, mas depois relatam consistentemente desafios na sua recolha e processamento.

As recompensas são muitas quando se acerta: investimentos bem sucedidos na gestão e análise de dados demonstraram melhorar tanto a produtividade como o desempenho. De facto, três quartos das organizações relataram que a sua eficiência operacional, rendimentos e lucros aumentaram em média 17%.   

Então, quais são as principais considerações para as organizações que procuram melhorar a sua capacidade de utilizar a análise para uma abordagem da agilidade baseada em dados? As 4 perguntas seguintes devem ajudar qualquer equipa a avaliar as suas competências em matéria de dados para a visão global.

Confia nos dados?

Com a vontade de tornar as empresas orientadas para os dados, não questionamos frequentemente os dados tanto quanto deveríamos e, por sua vez, tomamos frequentemente decisões sobre perceções imprecisas.  

Antes de utilizar a análise de dados para basear a sua decisão, é importante perguntar-se se os dados de origem são apanhados em algum dos comuns enganos que afetam a sua fidedignidade. São completos? São corretos? São fiáveis? No nosso inquérito, todos foram citados pelos líderes empresariais como alguns dos maiores desafios que enfrentaram na recolha e processamento de dados em bruto (40%, 42% e 38%).

É também importante questionar se estes são mesmo os melhores dados para tomar uma dada decisão. Quase todas (94%) as organizações globais lutam para identificar fontes de dados potencialmente valiosas. Esta é justamente a área da rede de dados em que um quarto das empresas (25%) está a levar a cabo os seus maiores investimentos para os próximos 12 meses. Compreender que dados a sua organização detém é a única forma de garantir que está a utilizar a melhor informação à sua disposição para tomar decisões.

Está a andar depressa o suficiente?

Não basta ter dados, os mesmos estão atualizados e são relevantes para o momento em que está a tomar a decisão? Quase um terço dos líderes empresariais relatam que não ter dados disponíveis em tempo útil é uma das razões mais comuns para o fracasso dos projetos analíticos.

Embora, historicamente, o acesso a dados prontos para análise de algumas fontes (incluindo dados transacionais de sistemas ERP ou CRM) possa demorar até seis a nove meses, devido ao processo pesado de recolha, transformação, processo de carregamento (ETL), que já não tem de ser o caso. Com a Recolha de Dados Alterados (CDC), as organizações podem transmitir informação em tempo real, independentemente da fonte ou do esquema, para armazéns de dados ou plataformas baseadas em nuvem onde podem ser automaticamente preparados e provisionados para análise. Este processo reduz o tempo para transformar os dados em bruto em dados prontos para análise de meses para minutos.  

A sua equipa está treinada para a utilizar?

Assegurar que a sua equipa tem as competências necessárias para utilizar a análise para informar a tomada de decisões é fundamental para a tomada de decisões ágeis em toda a empresa. De facto, a necessidade de melhorar a formação de trabalhadores com competência foi votada como a segunda área mais crítica que iria aumentar o sucesso dos projetos de análise de dados pelos líderes empresariais. Isto talvez não seja surpreendente dado que apenas 21% da força de trabalho global está plenamente confiante nas suas competências de literacia de dados e, quando sobrecarregados com dados, os colaboradores relatam ter encontrado métodos alternativos para concluir tarefas sem utilizar dados (36%) ou concluir completamente a tarefa (14%). Educar e capacitar a sua equipa para compreender e questionar dados será fundamental para identificar a oportunidade de aumentar a eficiência operacional e a produtividade, bem como identificar novas tendências, que irão permitir que o seu negócio se torne verdadeiramente ágil.

Conta com a sorte ou com os seus conhecimentos?

Duvido que tenha sido realizado um único negócio em todo o mundo que não tenha tido a necessidade de tomar decisões ágeis em resposta à recente crise. No entanto, quantas dessas empresas podem dizer com confiança que se basearam em conhecimentos de confiança? É importante que as empresas aprendam com estes últimos meses de agilidade rápida para compreenderem onde se encontram as fugas na sua rede de dados, o que impede que essas decisões sejam sustentadas por dados.

 

Conteúdo co-produzido pela MediaNext e pela Qlik

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 28 Novembro 2020

IT INSIGHT Nº 28 Novembro 2020

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.