CIONET Insights

Enviar os dados gerados na edge?

O Edge Computing é desenhado para que os dados, especialmente os que são gerados em tempo real, não sofram problemas de latência assegurando o bom desempenho de uma ou de várias aplicações.

Enviar os dados gerados na edge?

Com a sua aquisição, qualquer empresa pode garantidamente economizar tempo e dinheiro no que toca ao processamento de dados e também no que toca ao armazenamento dos mesmos pois estes podem ser armazenados localmente nos equipamentos, reduzindo a quantidade de dados que precisam ser processados e transferidos para um local centralizado ou suportado na cloud que acarretam custos fixos anuais bastante elevados às empresas.

O crescimento exponencial de dispositivos ligados à Internet (IoT) e das novas aplicações que requerem poder de computação em tempo real são as principais impulsionadoras dos sistemas de Edge Computing visto que com este aumento houve uma grande oportunidade de usar os dados recolhidos para trazer uma visão ainda maior e mais detalhada do negócio de uma empresa.

Mas é aqui que, no meu entender, surge um dos maiores problemas do Edge Computing sendo que a quantidade de dados disponíveis é imensa mas, nem todos os dados são úteis e criam valor.

E será que faz sentido enviar todos os dados gerados na Edge (nos equipamentos) para um sistema central ou devemos manter dados na Edge (na extremidade)?

A resposta a este desafio representa a poupança de milhares de euros em custos de armazenamento e processamento de dados.

Existe assim a necessidade de dividir os dados em duas categorias principais: os dados que devem ser analisados e processados na edge e aqueles que devem ser analisados e processados centralmente.

A gestão dos dados é cada vez mais um enorme desafio devido a questões como a acessibilidade e a disponibilidade. No entanto, é fundamental, isto porque as tecnologias oferecem um potencial ilimitado para transformar e criar novas formas de os disponibilizar, existem cada vez mais novos equipamentos (IoT) capazes de processarem e armazenarem dados bem como tomarem decisões com recursos a Inteligência Artificial (AI), ajudando as empresas a tornarem-se mais eficientes e resistentes, e por sua vez, a construir uma base mais forte e economicamente viável para o futuro.

Todos os dados devem ser assegurados para que permitam um registo sistemático da informação, acessibilidade à mesma, bem como a sua monitorização e obtenção de indicadores preditivos que apoiem a decisão em tempo real, potenciando a transparência na partilha de informação e eficiente prestação de serviços, através de alguns dos seguintes objetivos globais:

• Disponibilização de informação produzida de um modo transparente com vista ao desenvolvimento de serviços inovadores;

• Uma arquitetura de referência comum com enfoque na resiliência digital e na segurança dos sistemas e dos dados;

• Aposta na acessibilidade dos serviços eletrónicos mais simples, acessíveis e inclusivos, fomentando a proximidade e a redução de custos;

• A segurança, resiliência e privacidade dos dados, por forma a assegurar a salvaguarda da informação detida;

• Garantia de um desenvolvimento sustentável em matéria de transformação digital. De acordo com os objetivos globais apresentados, por forma a cumprir toda a sua execução, é fundamental que sejam implementados e desenvolvidas o seguinte conjunto de pontos para assim usufruir ao máximo do potencial dos dados produzidos no edge:

1. Transformação de processos operacionais, através do desenvolvimento e implementação de ferramentas de business intelligence para o apoio à decisão da gestão;

2. Desenvolvimento e partilha de informação entre entidades, com base em modelos big data, otimizando o tratamento e controlo dados, reduzindo os seus custos, e assegurando a distribuição global dos mesmos;

3. Preparação para a integração e desenvolvimento de ferramentas de inteligência artificial (AI) com capacidades de edge analytics para a tomada de decisões.

Num contexto em que o digital se tornou no meio privilegiado de partilha de dados para as empresas, e com a crescente aumento da importância da Transformação Digital e a Digitalização das empresas, torna-se prioritária a dinamização, disponibilidade de dados e o Edge Computing.

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 28 Novembro 2020

IT INSIGHT Nº 28 Novembro 2020

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.