Atos debate oportunidades e desafios da supercomputação em Portugal

A supercomputação em Portugal, o presente e o futuro desta tecnologia e as suas áreas de interesse, bem como a nova revolução impulsionada pela Computação Quântica, foram os principais eixos do High Performance Computer Day (HPC) organizado pela Atos e pela NetApp em Lisboa

Atos debate oportunidades e desafios da supercomputação em Portugal

O Professor Pedro Alberto Almeida, Coordenador do Laboratório de Computação Avançada, analisou o estado da supercomputação em Portugal e explicou o roadmap previsto para o HPC em Portugal, referindo todo o enquadramento e esforço que está a ser feito a nível europeu neste contexto, e alertou para a importância de se avançar nesta senda, já que "manter-se em linha com as últimas atualizações da computação é fundamental para se manter competitivo”.

Por seu turno, Christelle Piechurski, HPC Principal Architect da Atos abordou os avanços da computação quântica e as suas principais áreas de aplicação, focando-se na Quantum Learning Machine (QLM) da Atos - um simulador quântico desenvolvido pela Atos, alimentado por um supercomputador ultracompacto e assente numa linguagem de programação universal, que permitirá a investigadores, engenheiros e estudantes desenvolverem e testarem hoje as aplicações e os algoritmos quânticos de amanhã. A responsável frisou que "a parte mais importante da equação na computação quântica são as pessoas e o seu nível de expertise. É preciso trabalhar neste sentido”.

“A Atos possui tanto a expertise como os peritos (pessoas) e isso é um aspeto muito valioso do contributo que podemos oferecer para ajudar os nossos clientes, porque significa que temos a capacidade de os suportar totalmente na preparação das suas organizações para enfrentarem a próxima revolução digital que a computação quântica irá provocar. A Atos está numa posição privilegiada para ajudar os seus clientes a enfrentarem os desafios do futuro e serem bem-sucedidos. Tanto o HPC, como a computação quântica são complementares e ambos são essenciais para as empresas que querem estar no mercado daqui a 10 ou 15 anos e manter-se competitivas, por isso é tão importante investir na transformação digital”, referiu.

A apresentação de Albert Trill, HPC Senior Expert da Atos Iberia centrou-se nos últimos desenvolvimentos da Tecnologia Atos e dos produtos Bull, agregados numa oferta muito abrangente que inclui desde os supercomputadores de entrada de gama MiniScale, até ao topo de gama Exascale de nova geração e de elevada capacidade.

De acordo com este responsável da Atos, "ainda ninguém sabe ao certo quando estará a computação quântica disponível para ser utilizada por todos”. “Mas já sabemos que irá ser uma revolução e não uma evolução. Os novos padrões de velocidade introduzidos pela computação quântica (por exemplo, permitirão desencriptar ficheiros em segundos), irão exigir algoritmos diferentes dos que utilizamos hoje em dia. Consequentemente, tanto os programas como as apps terão que ser redesenhadas. E isto é algo que podemos fazer desde já: preparar o atual software para a grande mudança que se avizinha, de modo a que assim que o hardware esteja disponível as empresas possam mudar facilmente para o novo paradigma de computação. Justamente por isto, a Atos disponibilizou o simulador QLM, que nos diz como é preciso preparar o software para a computação quântica. Estamos a trabalhar com os nossos clientes no sentido de assegurarmos que estão prontos para darem o salto e serem bem-sucedidos na próxima grande onda”, comentou.

José Martins, Technical Manager da NetApp, dedicou a sua apresentação às oportunidades e aos desafios que a adaptação dos sistemas HPC irá provocar na próxima geração de data centers (NGDC). Geralmente, e por causa do elevado número de requisitos envolvidos os ambientes HPC tendem a ser formatados como dedicados. O advento das tecnologias cloud e a sua adoção crescente na maioria das soluções de TI criou novas possibilidades de escolha e permitiu que os ambientes HPC beneficiassem da imensa capacidade de computação disponibilizada pelos fornecedores de cloud como por exemplo a Amazon Web Services ou o Microsoft Azure.

Entre o leque de benefícios disponibilizados destacam-se a flexibilidade, bem como a facilidade e rapidez de acesso aos recursos de computação e aos serviços como o Analytics, o Hadoop e as bases de dados Relacionais e NoSQL. Uma das maiores barreiras à adoção das tecnologias cloud advém da complexidade que envolve a movimentação dos dados para dentro e para fora da cloud. A tecnologia NetApp, como por exemplo Cloud Sync, Cloud Ontap facilitam significativamente a transferência da informação para dentro e para fora da cloud. Também nos tradicionais ambientes on premisses a NetApp pode oferecer um sistema de infraestrutura convergente que procede à implementação de um sistema de arquivos robusto (Lustre) assente numa arquitetura comprovada e documentada que reduz de forma significativa o tempo despendido com a implementação de um sistema de arquivos Lustre para suportar o HPC. Desta forma, os recursos de TI poderão focar-se nos componentes do software do HPC deixando a implementação do armazenamento para a NetApp.

O HPC pode ter um amplo leque de utilizações e ajudar a impulsionar as inovações que necessitem do poder de computação oferecido pelos supercomputadores. Por exemplo, previsões meteorológicas mais precisas e mais alargadas; desenho de motores menos poluentes para os aviões; desenvolvimento de medicina personalizada baseada em análises genéticas mais profundas e menos dispendiosas, são algumas das aplicações possíveis do HPC.

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 11 Dezembro 2017

IT INSIGHT Nº 11 Dezembro 2017

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!