Portugal é o 4º país mais ameaçado por phishing

A Kaspersky publicou as conclusões do relatório de Spam & Phishing relativo ao primeiro trimestre de 2019. Portugal está no topo dos mais atacados por phishing e o Instagram é um dos principais alvos a nível global

Portugal é o 4º país mais ameaçado por phishing

De entre as conclusões do estudo da Kaspersky, destaca-se que 16,68% dos utilizadores em Portugal sofreram tentativas phishing, tornando o país no quarto maior alvo destes ataques durante o primeiro trimestre de 2019.

As novas funcionalidades do Instagram são os principais alvos de ataques, a nível global, e os ataques ao setor bancário cresceram.

No que toca à rede social Instagram, os hackers deixam hiperligações nos comentários, registam contas, pagam publicidade e chegam a contratar celebridades para distribuição de conteúdo.

Também a “apresentação de novos produtos da Apple” é um chamariz. Na véspera do último lançamento da marca, investigadores da Kaspersky detetaram um grande aumento no número de tentativas de direcionar os utilizadores a páginas web falsas que simulavam ser as páginas dos serviços oficiais da Apple. As vítimas eram convidadas a entrarem numa página de início de sessão falsa da Apple ID.

No setor bancário, os ataques a organizações de crédito sofreram um aumento de 5,23 pontos percentuais face ao anterior trimestre analisado. Foram usados métodos como o ataque terrorista em Kraichster. Os hackers esperavam que este 'truque', em conjunto com o nome do banco da Nova Zelândia, apresentado como remetente, daria credibilidade à mensagem. A mensagem pedia que os utilizadores alterassem os detalhes da conta devido a atualizações. Ao fazer o clique na hiperligação, o utilizador chegava a um site de phishing que simulava ser a página do início de sessão da conta pessoal do banco neozelandês.

Ataques que utilizam criptomoedas, phishing em nome de serviços de email, serviços falsos de suporte técnico, ou ameaças sobre a difusão de vídeos comprometedores dos utilizadores continuam a ser uma tendência no primeiro período de 2019.

O sector bancário continua a ser o primeiro alvo de phishing, seguido pelos portais globais e sistemas de pagamento. No que diz respeito aos países vítimas de ataques de phishing, o país com a maior proporção de utilizadores atacados no primeiro trimestre de 2019 foi o Brasil: 22%. Atrás do Brasil está a Austrália (17%), segue-se Espanha (16,96%) e logo Portugal (16,86%). A Venezuela ocupa o quinto lugar (16,72%).

No que diz respeito ao spam, no primeiro trimestre de 2019, a maior proporção registou-se durante o mês de março: 56,3%. A percentagem média de spam no tráfego global de emails foi de 56%. No que diz respeito aos principais países fonte de spam, a China (16%) e os EUA (13%) continuam a ocupar os primeiros lugares no ranking.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 19 Maio 2019

IT INSIGHT Nº 19 Maio 2019

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.