O lado humano das violações de dados

Um relatório recente destaca o lado humano dos incidentes de cibersegurança e avalia o desconforto e as perdas que os colaboradores enfrentam devido às violações de dados

O lado humano das violações de dados

O último relatório da Kaspersky, “Taking care of corporate security and employee privacy: why cyber-protection is vital for both businesses and their staff”, destaca o lado humano dos incidentes de cibersegurança ao avaliar o desconforto e as perdas que os colaboradores enfrentam devido às violações de dados.

Segundo esta investigação, cerca de um terço dos trabalhadores das empresas (30%) que estão envolvidos nas consequências destas ameaças falharam eventos pessoais importantes, tiveram de trabalhar durante a noite (32%) ou sofreram stress adicional (33%), enquanto um quarto teve mesmo de cancelar as suas férias (27%).

Embora o risco de violação de dados seja uma constante, as organizações precisam de manter sob controlo a segurança dos seus dados, para que estes incidentes não afetem negativamente a conduta dos colaboradores e a reputação da empresa - especialmente durante a pandemia COVID-19.  

O stress relacionado com o trabalho afeta o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional dos colaboradores, bem como a sua eficiência e motivação. Inclusive, 76% dos trabalhadores relevaram que o stress tem impacto nas suas relações pessoais, enquanto 16% já chegou mesmo a considerar abandonar o seu atual emprego por causa disso. Este stress tem de ser tido em conta, especialmente neste momento, em que muitas pessoas se encontram a trabalhar a partir de casa, esforçando-se para manter a sua rotina de trabalho e serem produtivas.

Para as empresas, o stress relacionado com a atividade profissional pode criar uma diminuição global da eficiência dos colaboradores e afetar o desempenho empresarial, levando, como consequência, a perdas financeiras diretas. Por exemplo, um número crescente de dias de ausência dos trabalhadores causados por stress pode custar a uma empresa de grande dimensão até 3,5 milhões de dólares por ano. Além disso, pode também levar a que a reputação de uma empresa seja potencialmente afetada enquanto entidade empregadora.

Segundo o relatório da Kaspersky, os incidentes de cibersegurança podem também contribuir para uma experiência de trabalho negativa. De facto, este cenário já ocorreu em cerca de metade das pequenas e médias empresas (48%) e das empresas de maior dimensão (53%), que sofreram no ano passado, pelo menos, uma violação de dados.

No caso de ocorrer uma violação de dados, as equipas de IT e de segurança de IT têm de investigar o incidente, limpar e fazer correções ao sistema, e tomar medidas para evitar que o ataque se repita. Como resultado, um terço dos gestores teve de trabalhar durante a noite ou que fazer horas extra no trabalho (33% em pequenas e médias empresas e 32% para as empresas de maior dimensão). Esta situação leva também a que outras tarefas e prazos sejam adiados em mais de um quarto das PME (27%) e das empresas de maior dimensão (26%). E este cenário, juntamente com a perda de eventos pessoais – como o aniversário de um familiar ou um encontro com o parceiro - já foi experienciado por 20% dos profissionais de IT nas pequenas e médias empresas e 30% nas empresas de maior dimensão.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 27 Outubro 2020

IT INSIGHT Nº 27 Outubro 2020

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.