Número de ficheiros maliciosos detetados diariamente cresceu 5,2%

A grande maioria dos ficheiros maliciosos ocorreu através de ficheiros Windows PE, enquanto o número de novos malwares relacionados com sistemas operativos Android foi reduzido em 13,7%

Número de ficheiros maliciosos detetados diariamente cresceu 5,2%

Os sistemas de deteção Kaspersky descobriram uma média de 360 mil novos ficheiros maliciosos por dia nos últimos 12 meses, um aumento de 5,2% em relação ao ano anterior. 60,2% desses ficheiros maliciosos encobertos.

Globalmente, a percentagem de ataques encobertos detetados aumentou 40,5% em relação ao ano anterior. Houve também um aumento notável de 23% no número de backdoors detetados, bem como worms, escritos na linguagem VisualBasicScript e geralmente pertencentes à família de malware Dinihou. Em declínio está o adware, que registou uma diminuição de 35% em relação a 2019.

A grande maioria dos ficheiros maliciosos (89,80%) foram produzidos através de ficheiros Windows PE, um formato de ficheiro específico para sistemas operativos Windows. Ao mesmo tempo, o número de novos malwares relacionados com os sistemas operativos Android foi reduzido em 13,7%.

Como muitas pessoas estão agora a trabalhar e estudar a partir de casa, provavelmente em computadores e portáteis, os atacantes parecem ter mudado o seu foco nestes dispositivos. Houve também um aumento de 27% no número de scripts enviados através de campanhas de email maliciosas ou encontrados em sites infetados, o que poderia refletir mais uma vez o facto de as pessoas passarem mais tempo na Internet e os atacantes estarem a tentar capitalizar esse facto.

"No último ano, os nossos sistemas de deteção descobriram muitos mais novos objetos maliciosos do que em 2019. Devido à pandemia, os utilizadores em todo o mundo foram obrigados a passar mais tempo nos seus dispositivos e online. É difícil saber se os atacantes estavam mais ativos ou se as nossas soluções detetaram ficheiros mais maliciosos simplesmente devido ao aumento da atividade. Pode ser uma combinação de ambos. De qualquer forma, assistimos a um aumento notável do número de novos ficheiros maliciosos este ano, e provavelmente continuará até 2021, uma vez que os colaboradores continuam a trabalhar a partir de casa e países implementam diferentes restrições. No entanto, se os utilizadores tomarem precauções básicas de segurança, podem reduzir significativamente o risco de encontrá-los", explica Denis Staforkin, especialista em segurança da Kaspersky.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 29 Janeiro 2021

IT INSIGHT Nº 29 Janeiro 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.