Malware Android infeta mais de 560 mil utilizadores

O malware, de natureza até agora indeterminada, foi disseminado através de um conjunto de 13 aplicações disponíveis no Google Play sob a forma de jogos de condução

Malware Android infeta mais de 560 mil utilizadores

O malware para Android tem estado em ascensão nos últimos anos, e a campanha mais recente afetou mais de 560 mil utilizadores. Detetado por Lukas Stefanko, security researcher da ESET, o malware foi distribuído através de 13 app disponíveis no Google Play, todas as quais se fazem passar por jogos de condução e duas dais quais estavam, na altura, na página de trending.

Nenhuma destas apps funciona, de facto, como um jogo: não chegam sequer a abrir com sucesso. Uma vez instaladas, dependendo da app, poderão forçar updates de fontes não identificadas ou o download de outras aplicações. Em alguns casos, o icon desaparece totalmente da vista do utilizador, impedindo-o de eliminar a app. De modo geral, os utilizadores queixam-se de lentidão dos dispositivos, mas nem Stefanko nem a Google sabem com certeza o tipo de malware que está a infetar os Androids. O que se sabe com certeza é que é persistente, arrancando cada vez que o dispositivo é ligado ou reiniciado, e tem “total acesso” ao seu tráfego de rede.

O investigador reportou as suas conclusões à Google, que retirou os jogos da Google Play. Stefanko comentou ainda que a Google podia fazer mais para protejer os seus utilizadores. A maior parte das vezes, garante, um simples rastreio com software anti-virus seria suficiente.

Não é a primeira vez que a Google Play enfrenta críticas pela sua atitude passiva face à segurança, a qual levou a que tenha tido de retirar mais de 700 mil aplicações maliciosas só em 2017.

Nos últimos anos a Google tem tentado reforçar a segurança do sistema operativo relativamente aberto dos Androids – a nível das apps já descarregadas, por exemplo, implementou uma gestão mais granular das autorizações. Mas no que toca às apps disponibilizadas na store, a estratégia parece manter-se mais reativa que preventiva.

Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 17 Janeiro 2019

IT INSIGHT Nº 17 Janeiro 2019

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.