2020 marcado pelo uso crescente de ransomware

Apesar do volume global de malware ter diminuído 39%, o ransomware registou um crescimento de 40%

2020 marcado pelo uso crescente de ransomware

2020 trouxe muitas mudanças. No entanto, o súbito aparecimento de teletrabalho e do escritório virtual forneceu aos cibercriminosos um novo e atraente vetor para explorar. De acordo com o relatório de inteligência de ameaças da SonicWall realizado no terceiro trimestre, este período tem sido marcado pelo uso crescente de ransomware por cibercriminosos, ameaças encriptadas e ataques que alavancam portas não padrão, enquanto o volume global de malware diminuiu pelo terceiro trimestre consecutivo.

Enquanto autores de malware e cibercriminosos ainda estão ocupados a trabalhar em ciberataques mais sofisticados, a pesquisa conclui que o volume global de malware continua a diminuir, sendo que os investigadores da SonicWall apenas registaram 4,4 mil milhões de ataques de malware, uma queda de 39% no mundo inteiro. 

 Os investigadores da SonicWall registaram um crescimento agressivo de ransomware durante cada mês do terceiro trimestre, incluindo um aumento massivo em setembro. No total, o ransomware cresceu 40%, observando-se um aumento significativo nas deteções de ransomware Ryuk, com 67,3 milhões de ataques no terceiro trimestre, 33,7% de todos os ataques de ransomware deste ano.

"O que é interessante é que Ryuk é uma família de ransomware relativamente jovem que foi descoberta em agosto de 2018 e ganhou uma popularidade significativa em 2020. O aumento da força de trabalho remota e móvel parece ter aumentado a sua prevalência, o que não só levou a perdas económicas, como também afetou os serviços de saúde, como ataques diretos aos hospitais", afirma Dimitriy Ayrapetov, vice-presidente de arquitetura da plataforma da SonicWall.

Além disso, a SonicWall Capture Labs encontrou um aumento de 30% nos ataques de malware IoT, num total de 32,4 milhões em todo o mundo. A maioria dos dispositivos IoT, incluindo dispositivos inteligentes ativados por voz, campainhas, câmaras de TV e eletrodomésticos, não foram concebidos tendo o fator segurança como uma prioridade, tornando-os suscetíveis a muitos tipos de ataques.

Os dados da inteligência de ameaças da Sonicwall também concluíram que, embora o criptojacking (57,9 milhões), as tentativas de intrusão (3,5 biliões) e as ameaças de malware IoT (32,4 milhões) aparecessem como tendência nos relatórios do primeiro semestre, continuam a ser uma grande ameaça e uma fonte de oportunidades para os cibercriminosos, pelo que continuam a concentrar-se na sua deteção e bloqueio.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 28 Novembro 2020

IT INSIGHT Nº 28 Novembro 2020

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.