Louvor ao não muito louvado

Start

Louvor ao não muito louvado

Olhando para os ciclos de “hype” da Gartner, por exemplo, podemos ficar com a ideia de que o que faz mover o mundo são as tecnologias disruptivas.

Cada ano uma nova vaga tecnológica, das quais no ano seguinte temos as desilusões e finalmente, nalguns casos, chegamos a ter a adoção generalizada passado algum tempo e ultrapassados alguns percalços. Mas na verdade o que faz mover o mundo são as melhorias incrementais.

A transformação é desejável, por certo, mas se a organização não tiver processos e práticas estruturados, tê-los-á depois da transformação? Não é evidente que assim seja. Por isso é importante que épocas de desafios como a que atravessamos sejam também épocas para repensar e otimizar processos de negócio – ainda que sem o chapéu de um grande projeto de transformação digital, que neste momento nem todas as empresas estão com capacidade para levar a cabo. Ou seja, se não existe disponibilidade de recursos para uma transformação em larga escala, o que impede de se empreender uma otimização – que seja em tudo o que tem que ver com a satisfação dos clientes, como a eficácia das vendas, com o controlo atempado e rigoroso de custos?

É de crer que face a desafios continuados colocados pela presente situação, muitas empresas terão de ser bastante seletivas nos projetos que podem endereçar – e muitas vezes os que se referem a otimizações de processos são considerados de menor visibilidade e por isso, protelados. Mas a verdade é que sem processos eficientes e controlados, os recursos escassos tendem a perder tempo em tarefas de escasso valor. O que significa que, provavelmente, a repetição destas tarefas não é rentável para a companhia.

Na conjuntura atual, eliminar o desperdício, só pode ser um objetivo vencedor. 

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 29 Janeiro 2021

IT INSIGHT Nº 29 Janeiro 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.